AVISO IMPORTANTE

"As informações fornecidas são baseadas em artigos científicos publicados. Os resumos das doenças são criados por especialistas e submetidos a um processo de avaliação científica. Estes textos gerais podem não se aplicar a casos específicos, devido à grande variabilidade de expressão da doença. Algumas das informações podem parecer chocantes. É fundamental verificar se a informação fornecida é relevante ou não para um caso em concreto.

"A informação no Blog Estudandoraras é atualizada regularmente. Pode acontecer que novas descobertas feitas entre atualizações não apareçam ainda no resumo da doença. A data da última atualização é sempre indicada. Os profissionais são sempre incentivados a consultar as publicações mais recentes antes de tomarem alguma decisão baseada na informação fornecida.

"O Blog estudandoraras não pode ser responsabilizada pelo uso nocivo, incompleto ou errado da informação encontrada na base de dados da Orphanet.

O blog estudandoraras tem como objetivo disponibilizar informação a profissionais de cuidados de saúde, doentes e seus familiares, de forma a contribuir para o melhoramento do diagnóstico, cuidados e tratamento de doenças.

A informação no blog Estudandoraras não está destinada a substituir os cuidados de saúde prestados por profissionais.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

MIELOFIBROSE

Mielofibrose A mielofibrose é uma perturbação na qual o tecido fibroso pode substituir as células precursoras que produzem células sanguíneas normais na medula óssea, originando glóbulos vermelhos com formas anormais, anemia e aumento do tamanho do baço. Na medula óssea, os fibroblastos produzem tecido fibroso (conectivo), que forma uma espécie de entrançado que suporta as células produtoras de sangue. Na mielofibrose, uma célula anormal precursora estimula os fibroblastos e estes produzem demasiado tecido fibroso, que abafa as células produtoras de sangue. Além da menor produção de glóbulos vermelhos, só uma pequena quantidade deles passa para a circulação sanguínea e, por conseguinte, produz-se anemia. Muitos destes glóbulos vermelhos são imaturos ou têm forma irregular. Os glóbulos brancos e as plaquetas também adoptam uma forma irregular e a sua quantidade pode ser excessiva ou então reduzida. No fim do processo, o tecido fibroso substitui uma parte tão grande da medula óssea que a produção de todas as células sanguíneas se reduz. Quando isto acontece, a anemia agrava-se, o reduzido número de glóbulos brancos não é capaz de combater as infecções e as poucas plaquetas não conseguem evitar as hemorragias. O corpo produz células sanguíneas fora da medula óssea, principalmente no fígado e no baço, que tendem a hipertrofiar-se; esta doença é conhecida com o nome de metaplasia mielóide agnogénica. A mielofibrose por vezes acompanha a leucemia, a policitemia vera, o mieloma múltiplo, o linfoma, a tuberculose ou as infecções ósseas, mas ainda se desconhece a sua causa. As pessoas que foram expostas a certas substâncias tóxicas, como o benzeno e a irradiação, são mais propensas a sofrer de mielofibrose. É mais frequente em pessoas de 50 a 70 anos. Como esta perturbação se desenvolve de forma lenta, as pessoas que dela sofrem em geral vivem 10 anos ou mais. Por vezes, esta perturbação pode avançar rapidamente —é a chamada mielofibrose maligna ou mielofibrose aguda e é um tipo de leucemia. Sintomas e diagnóstico Frequentemente, a mielofibrose não produz sintomas durante anos. No fim, a anemia causa fraqueza e cansaço; os doentes não se sentem bem e perdem peso. O baço e o fígado grandes podem causar dor abdominal. Os glóbulos vermelhos deformados, imaturos, que se observam nas amostras de sangue analisadas ao microscópio, e também a anemia sugerem a presença de mielofibrose, mas exige-se uma biopsia da medula óssea (extracção de uma amostra para a sua observação ao microscópio) para obter a confirmação do diagnóstico. Tratamento Actualmente nenhum tratamento é capaz de inverter ou atrasar de forma permanente a progressão desta perturbação, embora os medicamentos antineoplásicos, como a hidroxiureia, diminuam o tamanho do fígado e do baço. O objectivo do tratamento é atrasar o aparecimento das complicações. O transplante de medula óssea oferece certas esperanças em casos especiais. Em algumas pessoas, a produção de glóbulos vermelhos pode ser estimulada com eritropoietina, mas noutras são necessárias transfusões de sangue para tratar a anemia. Raramente, o baço aumenta extraordinariamente de tamanho e causa muita dor, pelo que pode ser preciso extraí-lo. As infecções tratam-se com antibióticos.

7 comentários:

Anônimo disse...

Boa noite, minha mãe está com um quadro muito sugestivo de mielofibrose e gostaria de saber se alguém pode me ajudar a saber se há algum tratamento.

Marcus Vinicius

vinicius946@hotmail.com

Onias disse...

Eu tenho miliofibrose, e faço tratamento no hospital São Camilo com o dr Luiz Fernando, hematologista, atualmente estou tomando o remédio Hydrea,duas capsulas por dia, e me sinto muito bem.Esta doença a perda de peso e aumento do baço, devido o remédio houve grande diminuiçao do tamanho.Primeiramente o paciente a necessidade de fazer e exame de medula óssea e o cariotipo para saber o andamento da doença.Recomendo que faça uma consulta com um bom hematolista e não se apavore,pois de acordo com o tipo possa ter uma vida normal mas sempre tendo acompanhamento através de exame de hemograma.Caso tenha interesse de manter contato fazer contato meu email onias.pinheiro@ig.com.br.Fé em Deus.

Anônimo disse...

minha bisavo tem essa doença e eu queria respostas sobre isso muito obrigado vou deixar meu e-mail:felipexd@r7.com

maria disse...

onias, preciso entrar em contato com vc, meu pai tem mielofibrose e nao passa nada bem. como entrar em contato com vc?

maria disse...

onias, preciso falar com vc. meu pai tem mielofibrose e nao passa bem. quero entrar contato com vc. marialuisa100%fernandes@hotmail.com somos de recreio mg cel 032 99965470

marcia disse...

BOA NOITE! MINHA MÃE PASSOU POR TODO O PROCESSO, E CONSTATAMOS A MIELOFIBROSE. ESTOU PREOCUPADA COM ISSO, E GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE ESSE DIAGNÓSTICO. ESTOU UM POUCO APAVORADA. AGRADEÇO DESDE JA UM CONTATO. marciacarrasco@hotmail.com

Anônimo disse...

eu perdi minha avo com mielofibrose, o doença avançou muito rapido, entre a confirmação e o obito foi de 16 dias