AVISO IMPORTANTE

"As informações fornecidas são baseadas em artigos científicos publicados. Os resumos das doenças são criados por especialistas e submetidos a um processo de avaliação científica. Estes textos gerais podem não se aplicar a casos específicos, devido à grande variabilidade de expressão da doença. Algumas das informações podem parecer chocantes. É fundamental verificar se a informação fornecida é relevante ou não para um caso em concreto.

"A informação no Blog Estudandoraras é atualizada regularmente. Pode acontecer que novas descobertas feitas entre atualizações não apareçam ainda no resumo da doença. A data da última atualização é sempre indicada. Os profissionais são sempre incentivados a consultar as publicações mais recentes antes de tomarem alguma decisão baseada na informação fornecida.

"O Blog estudandoraras não pode ser responsabilizada pelo uso nocivo, incompleto ou errado da informação encontrada na base de dados da Orphanet.

O blog estudandoraras tem como objetivo disponibilizar informação a profissionais de cuidados de saúde, doentes e seus familiares, de forma a contribuir para o melhoramento do diagnóstico, cuidados e tratamento de doenças.

A informação no blog Estudandoraras não está destinada a substituir os cuidados de saúde prestados por profissionais.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Doença de Fabry DF

A doença de Fabry (DF) é uma doença hereditária do metabolismo de glicoesfingolípidos devido a uma actividade deficiente de alfa-galactosidase A, uma enzima homodimérica lisossomal. Esta doença tem um modo de hereditariedade ligado ao X. A deficiência enzimática leva à acumulação sistémica de glicoesfingolípidos neutros não derivatizados, no plasma e tecidos. As principais manifestações clínicas em indivíduos do sexo masculino (hemizigóticos) sem actividade detectável da alfa-galactosidase A, resultam principalmente de uma vasculopatia progressiva dos pequenos vasos com angioqueratomas, disfunção autonómica (incluindo hiperidrose) e dor debilitante ao longo de toda a vida. A insuficiência renal e a vasculopatia cardíaca e cerebral conduzem a uma morte precoce durante a idade adulta. Foi também descrita uma variante atípica com actividade residual da enzima e cardiopatia de aparecimento tardio, sem manifestações sistémicas. Embora a maioria dos portadores do sexo feminino sejam assintomáticos, podem também ter angioqueratomas isolados, acroparestesia ou a característica distrofia benigna da córnea. A demonstração da deficiência de alfa-galactosidase em leucócitos ou no plasma é o método que permite o diagnóstico definitivo nos indivíduos do sexo masculino afectados (hemizigóticos). Por seu lado, a detecção enzimática das portadoras é difícil e muitas vezes inconclusiva, dada a inactivação aleatória do cromossoma X. É altamente desejável a realização um teste molecular para a detecção de heterozigotia, de forma a permitir o aconselhamento genético e diagnóstico pré-natal adequados nas famílias afectadas. O gene GLA está localizado no cromossoma Xq22 e tanto a sequências de cDNA, como a genómica foram já caracterizadas, abrindo caminho à análise molecular. Existem diversos estudos que demonstram a heterogeneidade genética desta doença, salientando a necessidade subjacente de identificar a mutação do gene GLA em cada família estudada. Actualmente não existe um tratamento padrão para a DF. O tratamento sintomático é fornecido quando adequado. Adicionalmente, o transplante renal ou diálise estão disponíveis, apresentando um grau de sucesso variável nos doentes com insuficiência renal. No entanto, a terapia de substituição enzimática deverá ser disponibilizada num futuro próximo.

Angioqueratoma corpóreo difuso de 
Anderson-Fabry DOENÇA 
HEREDITÁRIA distópicos Lipidose 
alfa-galactosidase A DEFICIÊNCIA 
DEFICIÊNCIA GLA 
DEFICIÊNCIA TRIHEXOSIDASE Ceramide

Outras entidades representadas nesta entrada:
Doença de Fabry, VARIANT CARDÍACO, incluído

Gene Fenótipo Relacionamentos
LocalizaçãoFenótipoFenótipo 
número MIM
Gene / LocusGene / Locus 
número MIM
Xq22.1Doença de Fabry, variante cardíaca301500ABL300644
Xq22.1Doença de Fabry301500ABL300644


TEXTO
Um sinal de número (#) é usado com esta entrada, porque a doença de Fabry é causada por mutações no gene que codifica a alfa-galactosidase A (GLA; 300.644 ).

Descrição
Doença de Fabry é um erro X-linked inato de catabolismo glicosfingolípidos resultante da actividade deficiente ou ausente da enzima lisossómica A. alfa-galactosidase Este defeito enzimático leva à acumulação sistémica de globotriaoslyceramide (Gb3) e glicoesfingolípidos relacionados no plasma e lisossomas celulares de vasos, nervos, tecidos e órgãos por todo o corpo ( Nance et al., 2006 ). O transtorno é uma doença sistêmica, manifestar-se como insuficiência renal progressiva, doença cardíaca, doença cerebrovascular, pequenas fibras neuropatia periférica, e lesões de pele, entre outras anormalidades ( Schiffmann, 2009 ). Uma variante atípica da doença de Fabry tem sido relatada em que cardíaco doença, especificamente hipertrofia ventricular esquerda, com ou sem insuficiência renal, desenvolve-se na sexta década de vida. Estes pacientes têm uma actividade GLA residual ( Nakao et ai, 1995. ; . Nakao et al, 2003 ). Embora previamente considerada uma desordem recessiva ligada ao X, Wang et al. (2007)descobriram que as mulheres heterozigotas com doença de Fabry experiência significativa de risco de vida condições que requerem tratamento médico e intervenção. Assim, as mulheres Fabry heterozigotas não deve ser chamado transportadoras, como este termo subestima a gravidade da doença nestes pacientes. Clarke (2007) eSchiffmann (2009) fornecido revisões detalhadas da doença de Fabry.






Características Clínicas
Em seu primeiro artigo sobre este assunto, Fabry (1898) chamou as lesões cutâneas de púrpura hemorrágica papulosa Hebrae ', sugerindo que já havia sido descrita por Hebra, o famoso dermatologista austríaco. Os indivíduos afetados tiveram crises dolorosas nas extremidades, pensados ​​para resultar de alterações lipídicas nas células ganglionares do sistema nervoso autônomo. Ataques de dor no abdômen pode ter sido erroneamente diagnosticados como apendicite ou outras emergências cirúrgicas. As lesões vasculares de natureza lipídica ocorreu em outros locais, como a fundi ocular e renal. Insuficiência renal foi a causa comum de morte. Hamburger et al.(1964) descreveu uma nefropatia familiar, que se manifesta clinicamente por proteinúria e insuficiência renal. A biópsia renal mostraram que as células epiteliais dos tufos glomerulares e, em menor extensão nas células epiteliais tubulares, as células glomerulares endocapilar e arteriolares células musculares foram severamente deformada com uma grande quantidade de material de inclusão citoplasmática aparecendo lipóide na natureza. O pai da mãe morreu de uremia. lesão de pele pode faltar mesmo em pacientes com graves manifestações viscerais ( Johnston, 1967 ). Além disso, lesões da pele idênticos angioceratoma ocorrer em outros distúrbios lisossómicas: (ver, por exemplo, Patel et ai, 1972. e Loonen et al, 1974. ). Flynn et al. (1972) descreveram uma família sem lesões cutâneas.Um homem afetado teve enteropatia severa. Franceschetti et al. (1969) reexaminados família um com 'córnea verticillata' relatado por Gruber (1946) e mostrou que a doença de Fabry foi responsável pela mudança da córnea.O grau de envolvimento da córnea foi praticamente a mesma em homens e mulheres, permitindo assim que as mulheres afetadas para ser identificado. A condição de córnea foi anteriormente chamado de Fleischer distrofia vórtice, ou whorl-como distrofia corneana. Stark (1999) observou que a atabrine droga antimalárica e antiarrítmico amiodarona também pode causar estas alterações. Mastropasqua et al. (2006) descobriram que, embora verticillata relacionada com a doença de Fabry córnea atribuível a acumulação de glicosfingolípidos foi considerado como sendo principalmente uma doença da córnea, em microscopia confocal in vivo demonstram alterações estruturais ao longo do epitélio inteira da superfície ocular. Diferentes tipos de lesões epiteliais da córnea foram observados em pacientes hemizigóticos e heterozigóticos. Em um período de alguns meses a um hospital, Montreal, Clarke et ai.(1971) viu 2 homens com a doença de Fabry com córneas claras e sem lesões de pele, sugerindo que pode ser uma causa mais frequente de proteinúria ou insuficiência renal do que realizado. Romeo et ai. (1972) estudou um dos casos de Clarke e concluiu que havia diferenças enzimaticamente dos casos clássicos. Uma diferença a partir da forma habitual da doença de Fabry é sugerido pelo facto de que a deficiência de alfa-galactosidase de leucócitos era apenas parcial, em vez de completo ( Kint, 1970 ). Halsted e Rowe (1975) descreveu um homem de 59 anos de idade com doença de Fabry. Em adição à sua idade avançada invulgarmente, ele tinha doença celíaca ( 212,750 ), que pode ter sido relacionada com a presença do alelo HLA-8 antigénio. Roudebush et al. (1973) pode ter relatado os primeiros casos de 'intervalo PR abreviada, «na doença de Fabry, a qual pode estar relacionada com o desenvolvimento de taquiarritmias e morte súbita ( Efthimiou et al., 1986 ). Sakuraba et al. (1986) relataram uma alta incidência de prolapso da válvula mitral em pacientes do sexo masculino de Fabry, bem como pacientes do sexo feminino. Ko et al. (1996) descreveu um variante 'oligo' da doença de Fabry. Uma biópsia renal realizada para avaliação de proteinúria de rastreamento revelou achados histológicos e ultra-estruturais compatíveis com a doença de Fabry em um homem de 34 anos sem história de doença renal em outros membros da família. A biópsia de alguns inicialmente não reconhecidas, dispersos, dark-rosadas pápulas escrotal mostrou angioqueratoma típico.Alfa-galactosidase foi marcadamente diminuída na urina e no plasma. MacDermot et al. (2001) estudaram 98 homens com doença de Fabry. A média de idade ao diagnóstico foi de 21,9 anos, ea mediana de sobrevida foi de 50 anos. A dor neuropática estava presente em 93 indivíduos (77%), com uma pontuação média de dor de 5 (escala de 0 a 10). Complicações cerebrovasculares estiveram presentes em 24,2% dos indivíduos estudados e insuficiência renal em 30%. Surdez neurossensorial de alta freqüência foi confirmado em 78% dos audiogramas. Participação nas atividades escolares, esportes e social foram significativamente afetadas pela doença de Fabry e apenas 46 pacientes (56,6%) foram empregados. Função psicossexual foi afetada pela presença de angioqueratoma genital, dor genital e impotência. BRANTON et al. (2002) revisaram os registros médicos de 105 pacientes do sexo masculino com doença de Fabry. O diagnóstico da doença de Fabry ocorreu mais tarde, em pacientes sem história familiar conhecida. Cinqüenta por cento dos pacientes desenvolveu proteinúria por idade 35 anos e insuficiência renal crônica por 42 anos. Detectável residual alfa-galactosidase actividade A foi associada com uma mais lenta a progressão da doença renal de Fabry, e com pontuações mais baixas para os danos histológico renal e do conteúdo renal de globotriaosilceramida. Mutações conservadores do gene GLA também foram associadas a uma menor progressão da doença renal Fabry. Senechal e Germain (2003) analisou as manifestações anatômicas e funcionais cardíacas em 20 pacientes do sexo masculino hemizigotos com doença de Fabry. Hipertrofia ventricular esquerda e / ou remodelação concêntrica foram encontrados em 60% dos casos; alterações estruturais em válvulas aórtica e mitral em 25% e 10%, respectivamente;. E intervalo PR curto em 40% Rolfs et al. (2005) descobriram que 21 (4,9%) de 342 machos e 7 (2,4%) de 289 fêmeas com acidente vascular cerebral criptogênica tinham mutações biologicamente significativas no gene ABL. A idade média de início da doença cerebrovascular sintomática de 38,4 e 40,3 anos nos homens e mulheres, respectivamente. Cerca de 30% apresentavam manifestações clássicas da doença de Fabry. Devido à alta freqüência da doença de Fabry (4%, 28 dos 721) nesta coorte de pacientes com AVC com AVC criptogênico com idades entre 18 e 55 anos, Rolfs et al. (2005) sugerem que a doença de Fabry deve ser considerada em pacientes jovens com acidente vascular cerebral inexplicável. Nance et al. (2006) relataram um homem de 34 anos de idade que se apresentou com dor induzida pelo exercício crônico, cãibras e fasciculações das pernas e pés. Sua mãe foi afetado. Alfa-glicosidase actividade foi de 8,8% e 13,4% do normal, respectivamente.Moore et al. (2007) proporcionou uma revisão da vasculopatia cerebral na doença de Fabry. Os pacientes apresentavam mais frequentemente com resultados consistentes com radiológicos de pequenos vasos doença em vez de vaso de grande doença, embora ambos possam ocorrer. A circulação posterior foi mais comumente afetadas.O pathomechanism Acredita-se que resultar de uma combinação de anormalidades da parede do vaso, componentes do sangue, tais como pró-e anti-coagulantes e hemodinâmica anormal ou fluxo sanguíneo.Schiffmann (2009) observaram que os pacientes com doença de Fabry têm um 20-vezes aumento do risco de acidente vascular cerebral isquêmico e ataque isquêmico transitório em relação à população geral. Para avaliar a expectativa de vida e causas de morte entre os pacientes com doença de Fabry, Waldek et al. (2009) examinaram dados de 2.848 pacientes no Registro de Fabry. Expectativa de vida ao nascer foi comparada com a da população geral Unidos Estados. Em agosto de 2008, 75 dos 1.422 machos e 12 fêmeas de 1.426 no Registro de Fabry foram relatados para ter morrido. Os 87 pacientes falecidos foram diagnosticados em uma idade muito mais antiga do que outros pacientes no Registro de Fabry: idade média ao diagnóstico foi de 40 versus 24 anos em homens e 55 versus 33 anos no sexo feminino. Expectativa de vida dos homens com a doença de Fabry foi de 58,2 anos, em comparação com 74,7 anos na população geral dos Estados Unidos. A expectativa de vida de mulheres com doença de Fabry foi 75,4 anos, comparado com 80,0 anos na população em geral Estados Unidos. A causa mais comum de morte entre ambos os sexos foi a doença cardiovascular. A maioria (57%) pacientes que morreram de doença cardiovascular tinham recebido previamente a terapia de substituição renal. Waldek et al. (2009) concluiu que a maioria dos pacientes falecidos Registro de Fabry exibiram disfunção cardíaca e renal grave, e que o diagnóstico tardio pode ter contribuído para as mortes precoces desses pacientes. Mehta et al. (2009) relatou os resultados clínicos de 1.453 pacientes de Fabry (699 machos e 754 fêmeas), provenientes de 19 países que participam no Outcome Survey Fabry (FOS). Os sinais mais freqüentemente relatados foram as manifestações neurológicas, afetando 75% dos homens e 61% de fêmeas. Insuficiência renal esteve presente em 134 machos e 21 fêmeas: 89 machos e 5 fêmeas tiveram estágio final da doença renal em uma idade média de 32,3 e 23,3 anos, respectivamente.As manifestações cardíacas foram registrados em 422 pacientes do sexo masculino e 376 do sexo feminino: 284 machos e 180 fêmeas tinham hipertrofia ventricular esquerda, com início na idade média de 28,7 e 34,1 anos, respectivamente. Eventos cerebrovasculares ocorreu com aproximadamente a mesma frequência em machos e fêmeas (25% e 21%, respectivamente). Acidente vascular cerebral foi relatada em 39 fêmeas e 63 machos em idades médias de 51,4 ​​e 39,2 anos, respectivamente. Quarenta e dois pacientes morreram, incluindo 35 homens e 7 mulheres com idade média de 51,8 e 64,4 anos, respectivamente. A principal causa de morte em ambos os pacientes do sexo masculino e feminino foi de doença cardíaca, relatado em 34% e 57%, respectivamente. Isso estava em contraste com as principais causas de morte entre 181 parentes afetados de pacientes de Fabry que morreram antes de 2001: as causas mais comuns de morte foram devido à insuficiência renal em homens (42%) e doença cerebrovascular em mulheres (25%). No geral, os dados sugerem que a doença renal como causa de morte em pacientes com doença de Fabry é decrescente enquanto a doença cardíaca está aumentando. Este padrão provavelmente reflete melhorias na gestão da doença renal em pacientes com doença de Fabry. Testai e Gorelick (2010) analisou a fisiopatologia do acidente vascular cerebral em pacientes com doença de Fabry. Estudos populacionais havia estimado que a doença de Fabry é responsável por 1,2% dos acidentes vasculares cerebrais criptogênicos em pacientes com menos de 55 anos, e as mulheres são mais susceptíveis de serem afectadas do que os homens (27% vs 12%). Acidente vascular cerebral pode resultar tanto cardíaco (hipertrofia, arritmia) ou vasculares (estenose, oclusão vascular, dilatação dos vasos) fatores. A circulação posterior é mais comumente afetados. Imagens do cérebro pode mostrar lesões progressivas da substância branca. Variant cardíaca da doença de Fabry As observações de Ogawa et al. (1990) , Elleder et al. (1990) , Nagao et ai. (1991) , e von Scheidt et al.(1991) indicaram que manifestações da doença de Fabry pode ser limitado ao coração. Estes autores sugeriram que a doença de Fabry deve ser considerada em pacientes que apresentam sintomas cardíacos, tais como angina intolerância ao exercício, e alterações eletrocardiográficas, mas artérias coronárias normais, o tamanho do coração, e os achados hemodinâmicos. Casos de doença de Fabry limitados à manifestação cardíaca pode ser identificado por análise ultraestrutural de biópsia endomiocárdica espécimes ou, menos invasiva, através da determinação da actividade de plasma GLA em pacientes masculinos com inexplicáveis ​​sintomas cardíacos. O mais velho dos pacientes relatados com esta forma da doença era um paciente japonês que morreu com a idade de 71 anos (Ogawa et al., 1990 ). Nagao et al. (1991) relataram 2 machos independentes que desenvolveram cardiomiopatia hipertrófica após a idade de 50 como a sua primeira manifestação da doença de Fabry. Von Scheidt et al. (1991)relataram um homem de 54 anos de idade, com a variante cardíaca da doença de Fabry confirmada por análise genética (M296V; 300644,0005 ). O paciente tinha "angina crescendo", aliviado por nitroglicerina, bem como alterações eletrocardiográficas, mas o tamanho da câmara cardíaca normal e sistólica normal e função diastólica pelo ecocardiograma. O cateterismo cardíaco não mostrou obstruções das artérias coronárias de extensão universitária. O diagnóstico da doença de Fabry foi feito por biópsia endomiocárdica. Light-microscópica exame mostrou que aproximadamente metade dos miócitos continha um material armazenado de forma centralizada espumosa que manchava metachromatically. Por microscopia eletrônica, típica de mielina figura-como inclusões lamelares concêntricos em lisossomos foram observados. Mais notavelmente, as células endoteliais dos capilares do miocárdio não estavam envolvidos e não foram observadas alterações em amostras de músculo esquelético, fígado, reto e pele, incluindo pequenos vasos sanguíneos e nervos. Nakao et al. (1995) constatou que 7 de 230 homens japoneses não relacionados com hipertrofia ventricular esquerda teve a variante atípica da doença de Fabry. Estes 7 homens independentes, com idade variando de 55 a 72 anos, não tem angioqueratoma, acroparestesia, hipohidrose, ou opacidades corneanas. A biópsia endomiocárdica revelou marcada vacuolização sarcoplasmática em todos os 5 pacientes examinados. A microscopia electrónica, realizado em tecidos de 4 destes pacientes, revelou típicas inclusões lisossomais com uma configuração concêntrica lamelar. Dois pacientes tinham mutações missense novos no gene ABL ( 300644,0051 ; 300644,0052 ). Os restantes 5 pacientes não tinham mutações na região codificante do gene ABL, no entanto, para além de baixo plasma actividade alfa-galactosidase, o mRNA GLA foi marcadamente inferior ao normal. Elleder et al. (1994) demonstraram material de armazenamento no epitélio externo aracnoidal das leptomeninges em um caso de cardiocyte-restricted doença de Fabry. O paciente, um homem de 65 anos de idade com doença de Fabry, que morreu de carcinoma do ducto biliar, apresentaram apenas sintomas cardíacos e pré-mortem sinais. Este padrão contrastado com o armazenamento generalizada leptomeníngea observada na doença de Fabry típico. Feminino Fabry Pacientes Romeo e Migeon (1970) relataram a inactivação genética do locus alfa-galactosidase em fêmeas pacientes com doença de Fabry, consistente com lyonization. Bird e Lagunoff (1978) relataram 2 irmãs adultos com doença de Fabry. Ambos tinham episódicas e permanentes déficits neurológicos, incluindo vertigem, zumbido, sinais motores longos do trato, e incontinência urinária. Broadbent et al. (1981) relataram um paciente de 58 anos de idade que tinha hipertrofia cardíaca e insuficiência cardíaca desenvolvida. A biópsia endomiocárdica revelou alterações celulares compatíveis com doença de Fabry. Os autores postularam lyonization desfavorável do cromossomo X mutante no tecido cardíaco. Rodriguez et al. (1985) relatou uma mulher de 42 anos de idade com doença de Fabry, que tinham proteinúria persistente. Mutoh et al. (1988)descreveu um grau incomum de disfunção autonômica, que se manifesta por hipotensão ortostática grave, em um paciente de 21 anos de idade. Hasholt et al. (1990) descreveu uma menina em quem a doença de Fabry foi suspeitado com a idade de 18 anos por causa de opacidades corneanas e tortuosos vasos da retina. Ela tinha ataques de febre alta, artralgia e dor abdominal. Estudos indicam que ela sofria de uma nova mutação para a doença de Fabry, ela era heterozigoto. Hillsley et al. (1995) descreveram uma mulher de 74 anos com cardiomiopatia restritiva que complica a doença arterial coronária convencional que tinham sido tratados com angioplastia e com cirurgia de revascularização miocárdica. MacDermot et al. (2001) relataram manifestações clínicas eo impacto da doença em 60 mulheres com doença de Fabry. A sobrevivência média acumulada era de 70 anos, o que representa uma redução aproximada de 15 anos a partir da população em geral. Seis das 32 ​​mulheres apresentaram insuficiência renal, 9 de 32 (28%) morreu de complicações cerebrovasculares e 42 (70%) haviam experimentado a dor neuropática. Vinte (30%) do sexo feminino tiveram alguma manifestação grave ou incapacitante da doença de Fabry. Whybra et al. (2001) realizaram uma avaliação clínica completa em 20 mulheres com doença de Fabry.Além das manifestações cutâneas, várias outras manifestações clínicas da doença estavam presentes, incluindo acroparestesia, disfunção renal, doença cerebrovascular, e problemas gastrintestinais e coração. Pruss et al. (2006)relatou uma mulher de 50 anos de idade que apresentou com uma história de 10 anos de vertigem paroxística rotação sem perda auditiva e zumbido. RM cerebral revelou artéria megadolichobasilar e lesões de substância branca. Devido a uma história familiar de doença de Fabry, a análise molecular foi realizada, e uma mutação foi encontrada no gene ABL. Ela mostrou verticillata córnea, mas nem angioqueratoma nem acroparestesia. Pruss et al. (2006) postularam que a vertigem resultou de compressão megadolichobasilar do nervo vestíbulo. Kim et al.(2007) relatou uma mulher de 38 anos de idade com doença de Fabry, que teve acroparestesia e anidrose desde a adolescência. Mais tarde, ela desenvolveu distensão gastrointestinal e doença intersticial pulmonar com dispnéia progressiva que requer oxigênio suplementar em todos os momentos. Scans de alta resolução da TC mostraram regiões de ambos parênquima pulmonar anormalmente denso e translúcido, refletindo uma combinação de opacidade em vidro fosco e aprisionamento de ar, mais evidente nos lobos superiores. Existem também evidências de hipertensão pulmonar. Exame da pele mostrou angioqueratomas cutâneas e baqueteamento digital. O tratamento com terapia de reposição enzimática resultou em melhora pulmonar e gastrointestinal significativo dentro de alguns meses. Em uma revisão dos prontuários de 44 pacientes heterozigotos do sexo feminino com doença de Fabry, Wang et al. (2007) concluíram que os doentes de Fabry mulheres experimentam doença multissistêmica e significativa redução da qualidade de vida. Acroparestesia foram o primeiro sintoma relatado em 76%, a maioria relatou os primeiros sintomas durante as primeiras 2 décadas de vida. As características clínicas e os resultados incluídos intolerância ao exercício, fadiga, acidente vascular cerebral, doença pulmonar obstrutiva crônica, angina, doença renal, queixas gastrintestinais, e diminuído sentido de vibração. Onze pacientes foram tratados com terapia de substituição enzimática. Wang et al. (2007) sugerem que a doença de Fabry não deve ser considerado um distúrbio ligado ao X recessivo e que as mulheres Fabry heterozigotos não devem ser chamados de portadores porque experimentam significativas de risco de vida condições que requerem tratamento médico e intervenção.
Outros Recursos
A cabo et al. (1982) relataram disfunção autonômica em 10 pacientes com doença de Fabry. Todos tinham diminuição da transpiração e cerca de metade tinha prejudicado constrição pupilar e diminuição da saliva e lágrima formação. Pacientes mais velhos apresentaram mobilidade intestinal desordenada. Friedman et al. (1984)relataram um paciente com doença de Fabry que tinha diverticulite jejunal complicado pela perfuração e formação de abscesso. O exame microscópico mostrou deposição glicolipídeo nos neurônios e fibras nervosas do plexo mioentérico intestinal e do músculo liso. Friedman et al. (1984) concluíram que a actividade do músculo liso descoordenada resultante da doença de Fabry causada saliência da mucosa através do músculo liso. Rosenberg et ai. (1980) indicou que a deposição de esfingolípidos em células epiteliais do tracto respiratório leva a obstrução crónica do fluxo de ar, o efeito foi especialmente aparente em fumantes. Entre 25 pacientes do sexo masculino com doença de Fabry, Brown et al. (1997) relataram dispnéia em 36% e tosse e / ou chiado em 24%. Os sintomas foram similares entre fumantes e não fumantes. Nove (36%) tinham obstrução das vias aéreas na espirometria, este achado foi associado com a idade de mais de 26 anos e com dispnéia ou chiado, mas apenas fracamente associado com o tabagismo. Cinco de 8 pacientes responderam aos broncodilatadores, mas todos os 10 desafios methylcholine foram negativos. As radiografias de tórax mostrou campos pulmonares normais em 24 pacientes e streaky densidades bibasais em 1. Mutações específicas ABL foram identificados em 17 pacientes, todos os 3 pacientes com mutações frameshift e ambos os indivíduos com uma mutação N264V ( 300.644,0021 ) tinham comprometimento obstrutiva. Brown et al. (1997) concluíram que a obstrução das vias aéreas ocorre comumente em pacientes com doença de Fabry, independentemente da história de tabagismo, e que aumenta com a idade. A presença de obstrução pode ser associado com certas mutações e os resultados mais prováveis ​​de estreitamento das vias aéreas fixo por glicosfingolípidos acumulado. Germain et al. (2002) concluíram que a perda progressiva da audição e surdez súbita são achados freqüentes na doença de Fabry. Audição anormal foi encontrado em 12 (54,5%) dos 22 homens hemizigotos com idades entre 19 a 64 anos: a perda auditiva progressiva em 5 e surdez súbita em 7. Perda auditiva em tom de alta freqüência foi encontrada em 7 dos 10 pacientes restantes, sem comprometimento clínico, apesar de uma idade jovem. A incidência de perda auditiva apareceu significativamente aumentados em pacientes com insuficiência renal ou lesões cardiovasculares, enquanto que não houve correlação com hipertrofia ventricular esquerda. Zumbido aurium foi encontrada em 6 pacientes (27%). Germain et al. (2005) investigaram prospectivamente o envolvimento ósseo em 23 pacientes do sexo masculino hemizigotos consecutivos com doença de Fabry usando dupla energia absorptiometry raio-x e constatou que 20 (87%) ou tinham osteopenia ou osteoporose. Os autores afirmam que este era o primeiro estudo a demonstrar que a doença de Fabry está associada com um risco aumentado de diminuição da densidade mineral óssea. Kaneski et al. (2006) observaram um aumento significativo da mieloperoxidase sérica (MPO; 606989 ) níveis em 73 pacientes do sexo masculino com doença de Fabry em comparação aos controles. Follow-up para uma média de 6 anos, mostrou que a MPO sérica aumentada foi associada com maior risco para eventos vasculares. Heterozigotos portadores de Fabry do sexo feminino também aumentou os níveis de MPO em relação aos controles, mas a diferença não foi estatisticamente significativa. Longo prazo da terapia de reposição enzimática não reduzir os níveis de MPO ou eliminar o risco de eventos vasculopathic. Kaneski et al. (2006) a hipótese de que o aumento da MPO na doença de Fabry foi produzido por neutrófilos em resposta a espécies de oxigénio reactivas. Para investigar a função e morfologia das glândulas endócrinas em pacientes com doença de Fabry, Faggiano et al. (2006) avaliaram a tireóide, hormônios gonadais, adrenal, e crescimento / insulin-like growth factor-1 ( 139250 / 147440 eixos) em 18 pacientes com doença de Fabry e 18 de sexo e idade-pareado indivíduos saudáveis. Dez dos 18 pacientes receberam terapia de substituição enzimática. Pacientes com doença de Fabry teve maior base hormônio estimulante da tireóide (TSH, ver 188540 ), os níveis dos controles (P menor que 0,01). Três indivíduos foram diagnosticados em um estágio inicial de hipotireoidismo primário subclínico associado com anticorpos antitireoidianos negativos. Uma história de anormalidades menstruais, aborto ou parto assistido foi encontrado em 89% das mulheres com doença de Fabry.Asthenozoospermia, oligozoospermia, ou ambos foram encontrados em todos os homens com doença de Fabry através de análise do líquido seminal. Pacientes com doença de Fabry teve significativamente maior ACTH circulante e níveis mais baixos de cortisol do que os controles (P menor que 0,05). Em pacientes sob terapia de substituição enzimática, uma resposta de cortisol sub-óptima à 250 microgramas de teste ACTH foi encontrada em 10%, eo pico-ACTH cortisol foi significativamente correlacionados com o estado de saúde do perfil (P inferior a 0,05). Faggiano et al. (2006) concluíram que uma variedade de disfunções do sistema endócrino latentes, incluindo condições de risco de vida (por exemplo, insuficiência supra-renal), ocorrem em pacientes com doença de Fabry.Disfunções endócrinas também estão presentes em pacientes que já estejam recebendo terapia de reposição enzimática e são, em parte relacionada com a sua qualidade de vida ruim persistente. Usando um questionário inventário de personalidade para avaliar o perfil psicológico de 28 pacientes adultos com doença de Fabry, Crosbie et al. (2009) descobriram que os pacientes tinham significativamente maior (anormal) pontuações em diversas escalas, incluindo a hipocondria, depressão e histeria, em comparação à população geral e em comparação com pacientes com doença cardíaca crônica. No entanto, os perfis psicológicos foram semelhantes aos pacientes com dor crônica. Doentes de Fabry relataram altos níveis de dor, dificuldade em tolerar temperaturas extremas, sentindo-se cansado ou fraco e problemas gastrointestial. Doentes de Fabry apareceu preocupado com problemas de saúde, resultando em isolamento, tristeza, preocupação, desespero e tumulto emocional, indicando a gravidade desta doença crônica e debilitante.
Características bioquímicas
Aerts et al. (2008) descobriram que pacientes com doença de Fabry tinha aumentado dramaticamente plasma desacilado Gb3 (globotriaosylsphingosine, ou liso-Gb3). Os autores observaram que liso-Gb3 é altamente hidrofílico, o que pode explicar por que havia sido negligenciado por muitos anos. Medição de plasma de vários doentes de Fabry, incluindo uma grande família holandesa, mostraram aumento significativo de plasma liso-Gb3 em hemizigotos em uma idade jovem. Portadores heterozigotos do sexo feminino tiveram aumentos moderados de liso-Gb3. Outros estudos mostraram que Gb3 a estas concentrações promovida Gb3 armazenamento, a proliferação induzida de células musculares lisas, e inibiu a actividade de GLA. Terapia de substituição enzimática resultou em reduzido, mas não normalizada, os níveis plasmáticos de liso-Gb3. Aerts et al. (2008) postulou que altos níveis de liso-Gb3 pode fornecer explicações para os fenômenos mal compreendidos na doença de Fabry, incluindo a proliferação de células endoteliais vasculares lisos, manifestações em mulheres heterozigotas, ou acumulação de extralisossômica Gb3.

Diagnóstico
Kint (1970) mostraram que a actividade da alfa-galactosidase é deficiente em leucócitos de pacientes do sexo masculino com doença de Fabry e que as fêmeas afectados podem ser identificados por este método. Moser (1983)considerado o ensaio trihexoside urinária, descrito por cabo et al. (1982) , para ser a maneira mais confiável para identificar indivíduos com doença de Fabry. Em uma tribo da Nova Escócia no qual 30 homens com doença de Fabry e havia 50 fêmeas possíveis com a mutação, Kirkilionis et al. (1991) utilizaram uma análise de ADNc de um local Ncol polimórfica 3-primordial para o gene para identificar as fêmeas com a mutação. Todos de 17 fêmeas com a mutação examinados foram identificados, incluindo 6, que não foram identificados pelo ensaio de enzima.Germain et al. (1996) utilizada a análise de fluorescência mismatch-assistida (FAMA) método para rastrear o gene ABL rapidamente em pacientes com doença de Fabry. As mutações foram identificadas em membros afetados de 9 famílias não relacionadas. Entre os 7 alterações na seqüência anteriormente não descritas, 3 eram obviamente patogênico porque eles levaram a terminação prematura da proteína. Os outros 4, uma mutação sítio de splicing e 3 mutações missense, eram as únicas alterações obtidos na análise completa do gene e do seu promotor. Os autores alegaram que FAMA detectado heterozigotos femininos mais confiável do que sequenciamento direto e, portanto, foi um teste diagnóstico valioso na conexão com o aconselhamento genético desde heterozigotos pode ser assintomática e seus valores enzimáticos dentro da faixa normal. Germain e Poenaru (1999) relataram mais experiência em a utilização da clivagem química fluorescente de desfasamentos na detecção de mutações e identificação de heterozigotos. Spada et al. (2006) relatou a triagem de recém-nascidos do sexo masculino 37,104 consecutivos para a doença de Fabry por determinação da alfa-Gal-A atividade de manchas de sangue seco. Doze recém-nascidos, ou 1 em cerca de 3.100 homens, tinham deficiência da atividade da enzima e mutações ABL.Estudos de modelação molecular e estudos in vitro de actividade da enzima mutante produziu uma proporção de 11:01 de pacientes com os mais tarde de início: fenótipos clássicos. A maior incidência de fenótipo mais tarde-início em pacientes levantou questões éticas relacionadas à triagem quando deve ser realizada, no período neonatal ou na maturidade precoce, talvez em conjunto com a triagem para outros tratáveis ​​adulto-início transtornos. Usando ressonância magnética cerebral estrutural e cérebro angio-RM para avaliar 25 pacientes com doença de Fabry,Fellgiebel et al. (2009) descobriram que pacientes com a doença apresentaram diâmetros significativamente ampliadas de várias artérias cerebrais, incluindo o basilar, cerebral média, cerebral posterior e carótida comparados aos controles. Um total de 87% dos indivíduos com doença de Fabry pode ser corretamente classificados como afetados com diâmetros da artéria basilar sozinho (sensibilidade de 95%, especificidade de 83%). A diferença de diâmetro da artéria basilar foi claramente superior à carga da substância branca lesão na distinção entre pacientes e controles. Fellgiebel et al. (2009) concluíram que diâmetros das artérias basilar, conforme medido por MR angiografia poderia ser usado para a detecção precoce e monitorização de envolvimento cerebral em pacientes com doença de Fabry.
Gestão Clínica
Eng et al. (2006) publicou as diretrizes para a avaliação e gestão de múltiplos órgãos envolvimento do sistema em pacientes com doença de Fabry. Transplante Renal Clemente et al. (1982) relataram que o transplante bem sucedido renal na doença de Fabry, não só corrigida a anemia, mas também produziu uma melhoria acentuada em outras manifestações clínicas da doença. Bannwart (1982) descreveu um exame post-mortem de 12 anos após o transplante; sem recorrência histológica da doença de Fabry em o enxerto renal foi encontrado por microscopia de luz ou de elétrons. Em contraste, Faraggiana et al. (1981) examinaram a rim de um paciente que morreu de 6 meses após o transplante e encontrou recorrência da doença generalizada no enxerto. Nesse caso, não havia evidência de um inibidor circulante de galactosidase A actividade. Friedlaender et al. (1987) apresentou dados da biópsia renal em um paciente com doença de Fabry antes e 8 anos após o transplante renal bem sucedido. O enxerto mantido função normal e histologia do enxerto não mostraram alterações. O paciente tinha sido capaz de retornar ao trabalho e seus sintomas graves de acroparestesia tinha sido curado. terapia de reposição enzimáticaMapes et al. (1970) relataram uma das estratégias primeira enzima de substituição na doença de Fabry. Dois pacientes demonstraram uma diminuição do nível de plasma de galactosylgalactosylglucosylceramide quando plasma normal foi infundida para fornecer enzima activa. Fan et ai. (1999) propôs uma estratégia molecular terapêutico para a doença de Fabry em que inibidores competitivos são administrados como 'chaperones químicos' em subinhibitory concentrações intracelulares para aumentar a actividade enzimática residual na doença de Fabry.Alguns mutantes de alfa Gal-A enzimas têm mostrado propriedades cinéticas semelhantes aos do tipo selvagem, mas são significativamente menos estável, especialmente em condições de pH neutro. O processamento biossintética foi atrasada na cultura de fibroblastos de um paciente com doença de Fabry ( Lemansky et al., 1987 ), ea proteína mutante formado um agregado em retículo endoplasmático ( Ishii et ai., 1996 ), indicando que a deficiência da enzima em alguns mutantes é principalmente causada pela saída abortiva a partir do retículo endoplasmático, levando à degradação excessiva da enzima. Fan et ai. (1999) e Asano et ai. (2000) relataram que o 1-desoxigalactonojirimicina (DGJ), um inibidor potente competitiva de alfa-Gal A, a actividade da enzima eficazmente reforçada em linfoblastos doença de Fabry, quando administrados em concentrações mais baixas do que aquelas normalmente necessária para uma inibição da enzima intracelular. DGJ pareceu acelerar o transporte e amadurecimento da enzima mutante. A administração oral de camundongos transgênicos DGJ a superexpressão um mutante alfa Gal-A atividade enzimática substancialmente elevada em alguns órgãos. Schiffmann et al. (2000)estudaram a segurança e farmacocinética da administrado por via intravenosa alfa-galactosidase A. produzido por transfecção de fibroblastos de pele humana em pacientes com doença de Fabry Infusões foram bem toleradas em todos os pacientes. A coloração imuno-histoquímica de tecido do fígado aproximadamente 2 dias após a infusão de enzima identificada alfa-galactosidase A em vários tipos celulares, sugerindo a absorção difusa através do receptor de manose-6-fosfato (M6PR; 154.540 ). O tecido de semi-vida no fígado foi superior a 24 horas. O grau de redução de substrato como potencialmente clinicamente significativa foi observada a partir de estudos de globotriaosilceramida glicosfingolípidos (também referido como ceramidetrihexoside) níveis nos pacientes após uma dose única de alfa-galactosidase A. Brady e Schiffmann (2000) revisada as características clínicas da doença de Fabry e os recentes avanços na sua terapêutica. Eles afirmaram que seu duplo-cego, placebo-controlado de infusões intravenosas de alfa-galactosidase A em pacientes com doença de Fabry demonstraram a segurança e eficácia deste tratamento. Eng et al. (2001) relataram os resultados de um ensaio clínico de substituição de enzimas na doença de Fabry, indicando segurança global e evidência subjectiva e objectivo de melhoria. Duas preparações de enzima diferente produzidas tenham sido examinado de forma independente em investigações clínicas para o tratamento da doença de Fabry: produzido por um chinês ovário de hamster (CHO) com tecnologia recombinante clássico (agalsidase beta-, Fabrazyme), ea outra produzida por cultura de fibroblastos da pele humana com um promotor activado da alfa-Gal um gene (agalsidase-alfa, Replagal). Com ambas as preparações, a redução de lipídios prometendo substrato em biópsias de tecidos têm sido observadas ( Eng et al, 2001. ; Pastores e Thadhani, 2001 ; . Schiffmann et al, 2001 ). Embora tenha sido sugerido que o alfa-Gal mRNA Um é submetido a edição, o que pode resultar em co-produção de uma proteína editado com uma conversão phe396-a-Tyr-que pode ter uma função fisiológica relevante ( Novo et al., 1995 ), Blom et al . (2003) encontrou nenhuma indicação da existência de edição, no proteína ou os níveis de RNA em qualquer enzima GLA recombinante. Waldek (2003) sugeriram que a duração do intervalo PR pode ser um marcador útil de tanto a gravidade da doença cardíaca e da resposta ao tratamento de pacientes com doença de Fabry. Em um paciente que teve uma resposta favorável à terapia de reposição enzimática, o intervalo PR e nível globotriaosilceramida cardíaca foram restaurados aos valores normais, com uma melhora da função cardíaca demonstrado pelo aumento da fração de ejeção do ventrículo esquerdo. O rápido aumento no intervalo PR coincidiu com um declínio dramático no nível glicosfingolípidos cardíaca. Wilcox et al.(2004) relataram que a terapia de reposição enzimática para 30 a 36 meses com agalsidase beta-resultou em níveis plasmáticos globotriaosilceramida diminuiu continuamente, sustentado apuramento Gb3 endotelial, função renal estável, e um perfil de segurança favorável. Usando avaliação clínica, eletrocardiográfica e ecocardiográfica,Spinelli et ai. (2004) estudaram 9 pacientes com cardiomiopatia Fabry antes e após 6 e 12 meses de tratamento com agalsidase beta. Aos 12 meses, espessura do septo interventricular ea massa do ventrículo esquerdo diminuiu significativamente (p menor que 0,01 para ambos), como teve a diferença na duração entre a velocidade na veia pulmonar onda de fluxo e da onda mitral na sístole atrial (p menor que 0,01). Spinelli et al. (2004) sugeriram que a terapia de substituição enzimática em pacientes com cardiomiopatia Fabry é capaz de reduzir a massa do ventrículo esquerdo e melhorar a sua rigidez. Pisani (2005) afirmou que os valores de p estavam incorretas no abstrato, mas correto nas figuras do artigo de Spinelli et al. (2004) .) Tajima et al. (2009) concebido e produzido um modificado alfa-N-acetylgalactosaminidase (NAGA; 104.170 ) com alfa-galactosidase A (GLA)-like especificidade de substrato em células de ovário de hamster chinês. A enzima adquirido a capacidade de catalisar a degradação de 4-metil-alfa-D-galactopiranósido, um substrato artificial de GLA, mas não para um substrato NAGA. Mostrou estabilidade no plasma e teve de manose 6-fosfato resíduos para a incorporação em células. Não houve reacção cruzada imunológica entre o NAGA modificado e ABL, eo NAGA modificado não reagiu para o soro de um paciente com doença de Fabry tratada com uma ABL recombinante. Em culturas de fibroblastos a partir de um paciente com doença de Fabry, a enzima modificada clivado globotriaosilceramida acumulada (Gb3). A injeção intravenosa em camundongos Fabry impedido Gb3 armazenamento no fígado, rins e coração, e melhores alterações patológicas nestes órgãos. Tajima et al. (2009) concluíram que esta NAGA modificado pode ser uma enzima altamente promissor seguro para o tratamento da doença de Fabry. Gene Therapy Qin et ai. (2001)utilizado um vector retroviral bicistrônico novo que os engenheiros expressão de ambos gene ABL o tratamento terapêutico e do gene da cadeia humana IL2R alfa-(CD25; 147.730 ) como um marcador seleccionável. Co-expressão de IL2R-alfa permitido immunoenrichment selectiva, pré-selecção, de uma variedade de células transduzidas humanos e de murino, resultando em melhoradas actividades intracelulares e segregada da alfa-Gal A enzima. Os resultados sugerem que uma estratégia de pré-selecção CD25-Based pode melhorar a utilidade clínica da terapia ex vivo hematopoiético gene estaminais / progenitoras de células na doença de Fabry e outras desordens.










Mapeamento
Opitz et al. (1965) relataram ligação entre a doença de Fabry e do cromossoma X. Johnston et al. (1969) estimou a fração de recombinação de Fabry contra Xg ( 314,700 ) para ser 0,24 (limites de 95% de probabilidade, 8-49,8%) e de angioqueratoma contra deutan ( 303,800 ) para ser 0,17 (limites de 95% de probabilidade, 1-50%) . Johnston e Sanger (1981) reanalisados ​​todos os dados e Xg Fabry ligação e obtidos escores negativos Lod em todas as taxas de recombinação. MacDermot et al. (1987) encontraram ligação estreita entre a doença de Fabry e 3 marcadores de ADN no cromossoma X: DXS87, DXS88, e DXS17, o que deu pontuação máxima LOD de 6,4, 6,4 e 5,8, respectivamente, a teta = 0,00. DXYS1 não estava ligado.


Genética Molecular
Romeo e Migeon (1970) apresentaram provas para uma mudança estrutural no enzima ABL em pacientes com doença de Fabry. As enzimas de doença associados mostrou inactivação mais lenta de calor e K diferente (m) valores comparados ao normal. por análise Southern blot, Bernstein et ai. (1989) descobriram que 6 de 130 homens não relacionados com doença de Fabry teve rearranjos do gene ABL. Cinco deleções parciais de genes foram detectados, variando em tamanho de 0,4 a mais de 5,5 kb. Quatro dos 5 deleções tinha pontos de interrupção no exão 2, uma região que contém múltiplos sequências Alu de repetição. Kornreich et al. (1990) avaliaram os arranjos de genes identificados por Bernstein et al. (1989) para determinar o possível papel de elementos Alu repetitivas e curtas repetições diretas e / ou invertida na geração destas mutações germinais. Embora o gene ABL contém 12 Alu elementos repetitivos (representando cerca de 30% do gene 12-kb), apenas uma supressão resultou de uma recombinação Alu-Alu. Os restantes 5 rearranjos envolvidos ilegítimos eventos recombinacional entre curtas repetições diretas de 2 a 6 pb nos pontos de interrupção de eliminação ou duplicação. Em um paciente com doença de Fabry, Bernstein et al. (1989) identificaram uma mutação no gene ABL ({300644,00001}). A substituição alterada propriedades cinéticas da enzima e de estabilidade. Eng et al. (1993) identificaram 18 diferentes mutações no gene ABL (ver, eg, 300644,0012 ; 300644,0013 ; 300644,0018 - 300644,0022 ) em pacientes com doença de Fabry. Davies et ai. (1993) encontraram 7 mutações no gene GLA em 9 famílias não relacionadas com a forma clássica da doença de Fabry. Eng e Desnick (1994) revistos e tabulados 15 rearranjo do gene ABL, 3 GLA defeitos de processamento de mRNA, e 31 mutações pontuais GLA causando Doença de Fabry . por SSCP seguido por análise de sequenciação do gene ABL, Blanch et al. (1996) identificaram mutações patogênicas em 9 pacientes com doença de Fabry clássico grave. Em um homem de 45 anos de idade com doença de Fabry, que tinha apenas manifestações renais, incluindo proteinúria moderada, Sawada et al. (1996) identificaram uma mutação no gene ABL ( 300644,0003 ). A mutação foi herdada de sua mãe. O paciente foi o único em que ele demonstrou apenas manifestações renais.Verovnik et al. (2004) relataram a primeira família eslovena com doença de Fabry em que 7 homens, incluindo um conjunto de gêmeos, e 10 fêmeas tiveram uma mutação ABL (N272S; 300644.0062 ). Membros afectados da família demonstraram a heterogeneidade fenotípica notável. Genes de modificação de óxido nítrico sintase endotelial (NOS3; 163.729 ) desempenha um papel-chave na regulação da função normal da parede do vaso. Heltianu et al.(2002) encontraram uma frequência relativamente elevada de 2 variantes polimórficas de NOS3 em machos com doença de Fabry e sugeriu que, além de mutações no alfa-galactosidase Um gene, a variação na NOS3 pode ser importante na determinação do fenótipo.


Genótipo / Fenótipo Correlações
Entre 32 crianças e 78 adultos com doença de Fabry, Auray-Blais et al. (2008) identificaram 35 diferentes mutações no gene ABL, incluindo missense (76,4%), sem sentido (16,4%), frameshift (3,6%), e os defeitos de splicing (3,6%).Quarenta e um dos pacientes estavam sendo tratados com terapia de reposição enzimática. Embora tenha havido uma grande variedade dentro de cada grupo de mutação, houve uma correlação significativa entre o genótipo ea excreção urinária Gb3/creatinine entre pacientes não tratados, com mutações missense, resultando em níveis mais baixos em geral. Houve também correlações entre a excreção urinária Gb3/creatinine e sexo e entre a excreção urinária e tratamento Gb3/creatinine. Não houve correlação com a idade. Auray-Blais et al. (2008) desenvolvido e utilizado um multiplex de cromatografia líquida-espectrometria de massa em tandem metodologia que permitiu a análise simultânea de Gb3 urinária e creatinina eluída a partir da amostra de papel mesmo filtro.

Genética de Populações
A incidência da doença de Fabry tem sido estimada em 1 em 55.000 nascimentos do sexo masculino. No entanto, este valor é quase certamente uma subestimação substancial da verdadeira freqüência, especialmente das variantes mais brandas da doença ( Clarke, 2007 ). Baseado em um estudo de triagem neonatal, Spada et al. (2006) estimou que a incidência da doença de Fabry pode ser um em 3.100 a 4.600 indivíduos.


Nomenclatura
Lesões cutâneas de natureza vascular são a base do nome 'angioqueratoma. Uma vez que angioqueratoma ocorre com algumas outras doenças lisossómicas e pode estar em falta na doença de Fabry, a utilização de 'doença de Fabry' o epônimo é preferido, embora ignora a contribuição importante de Anderson (1898) . Fabry, de Dortmund, na Alemanha, escreveu sobre o primeiro distúrbio, em 1898 e novamente em 1930.

História
Peltier et al. (1977) relataram gêmeos do sexo masculino com doença de Fabry, mas normal alfa-galactosidase e normalidade de várias outras enzimas lisossomais incluindo alfa-fucosidase. Os autores que se refere a isso como "pseudo-clínica da doença de Fabry.

Modelo Animal
Ohshima et al. (1997) gerou Gla camundongos deficientes por gene targeting. Os camundongos knockout exibida uma completa falta de alfa-galactosidase A atividade, mas parecia clinicamente normal com 10 semanas de idade.Análise ultraestrutural revelou concêntricos inclusões lamelares nos rins, e microscopia confocal usando uma fluorescente específica marcada com lectina para alfa-D-galactosilo resíduos mostrou acumulação do substrato nos rins, bem como em culturas de fibroblastos. Análise de lipídios revelou uma acumulação acentuada de trihexaside ceramida no fígado e os rins. A deficiência de actividade da enzima e da acumulação de material contendo terminais alfa-galactosilo resíduos em culturas de fibroblastos embrionários derivados dos ratinhos knockout foram corrigidas pela transdução estas células com humana GLA cDNA. Ohshima et al. (1999) caracteriza-se a progressão da doença de Fabry com o envelhecimento em Gla ratinhos deficientes e explorou os efeitos de transplante de medula óssea no fenótipo. A análise histopatológica dos ratinhos deficientes apresentaram lesões subclínicas nas células de Kupffer do fígado e macrófagos na pele sem lesões grosseiras nas células endoteliais.Acumulação de globotriaosilceramida (Gb3) e lesões patológicas nos órgãos afectados aumentou com a idade. O tratamento com transplante de medula óssea de ratinhos de tipo selvagem resultou na depuração do Gb3 acumulado no fígado, baço e coração com concomitante elevação da actividade de Gla. superexpressão da alfa-galactosidase A por transduzidas células resulta na secreção desta enzima. Enzima secretada disponível para absorção pelas células nontransduced, presumivelmente por endocitose mediada pelo receptor-. Correcção de as células vizinhas pode ocorrer localmente ou sistemicamente após a circulação da enzima no sangue. Takenaka et al.(2000) relataram estudos sobre a longo termo de correcção genética em um modelo de rato alfa-Gal A-deficiente da doença de Fabry. Enzima células deficientes em mononucleares de medula óssea (BMMCs) foram transduzidas com uma codificação retrovírus alfa-Gal A e transplantadas para subletalmente e letalmente irradiados enzima deficientes em ratinhos. Animais receptores primários foram acompanhados por até 26 semanas. BMMCs foram então transplantados em receptores secundários. Armazenamento aumento da actividade da enzima e diminuição de armazenamento globotriaosilceramida foram observados em todos os grupos de destinatários, em todos os órgãos e tecidos, com excepção do cérebro. Estes efeitos ocorreram mesmo com uma baixa percentagem de células transduzidas. Os resultados indicam que correcção genética de células derivadas da medula óssea de pacientes com doença de Fabry pode ser útil. Qin et ai. (2001) relataram uma nítida melhoria no rendimento da abordagem da terapia genética para a doença de Fabry descrito por Takenaka et al. (2000) . Ioannou et al. (2001) demonstraram uma folga dose-dependente de tecido e globotriaosilceramida plasma em ratos deficientes A-alfa-Gal tratados com humana recombinante GLA. Prigozy et al. (2001) descobriram que esplênicos células apresentadoras de antígenos de Gla camundongos deficientes poderiam apresentar alfa galactosilceramida-(alfa-GalCer) ou 6-primeiro-linked alfa GalGalCer, mas não 2-prime-linked alfa-GalGalCer, a NK T- linhas de células; estes glicolípidos são todos apresentados por CD1D ( 188,410 ) moléculas. Os autores também notado que Gla deficientes em ratos tiveram uma diminuição selectiva do número de células NK esplénicas T e na sua capacidade para responder a alfa-GalCer.Jung et al. (2001) construiu um vírus adeno-associado recombinante (AAV) vector que codifica a enzima humana GLA e injectou-lo para a veia porta hepática de ratinhos de Fabry. Duas semanas pós-injeção, a actividade enzimática nos fígados dos ratos injectados foi de 20 a 35% do que em ratos normais. Os animais transduzidas continuaram a apresentar níveis mais elevados de enzimas no fígado e noutros tecidos em comparação com os controles de Fabry intactas contanto que 6 meses após o tratamento. Em paralelo com os níveis de enzima elevadas, reduções significativas nos níveis de globotriaosilceramida ocorreu ao normal perto menos 2 e 5 de pós-tratamento semanas. Os níveis mais baixos Gb3 continuou no fígado, baço e coração até 25 semanas com nenhuma resposta imune significativa para o vírus ou a enzima. Não houve sinais de toxicidade hepática. Jung et al. (2001) sugeriram que uma transferência de genes mediada por AAV podem ser úteis para o tratamento da doença de Fabry e, possivelmente, outras desordens metabólicas. Takahashi et al. (2002) utilizaram o vector de AAV contendo o alfa-Gal Um gene no tratamento da doença de Fabry em ratinhos knockout. O vetor contendo o gene foi injetado no músculo quadríceps. Actividade da enzima elevadas no plasma persistiram até pelo menos 30 semanas sem desenvolvimento de anticorpos. A actividade enzimática em vários órgãos de ratos tratados com Fabry permaneceu 5 a 20% dos valores observados em ratos normais. Globotriaosilceramida acumulado nestes órgãos foi completamente eliminada por 25 semanas após a injeção do vetor. O exame ecocardiográfico de ratinhos tratados demonstraram uma melhoria estrutural de hipertrofia cardíaca 25 semanas após o tratamento.
Veja também:
Bach et ai. (1982) ; Beaudet e Caskey (1978) ; Brady et ai. (1967) ; cabo et al. (1982) ; Colucci et al. (1982) ; Frost et ai. (1966) ; Germain (2001) ; Gruber (1946) ; Hamers et al. (1979) ; Hasholt e Sorensen (1986) ; Maisey e Cosh (1980) ; Philippart et al. (1969) ; Pierides et al. (1976) ; Pyeritz et al. (1980) ; Rahman et ai. (1961) ; Ropers et al.(1977) ; Sheth et ai. (1981) ; Sorensen e Hasholt (1980) ; Spada e Pagliardini (2002) ; Spence et al. (1978) ; Spence et al. (1976) ; Sweeley e Klionsky (1963) ; Tagliavini et al. (1982) ; Wise et ai. (1962)

Referências
1.Aerts, JM, Groener, JE, Kuiper, S., Donker-Kooperman, WE, Strijland, A., Ottenhoff, R., van Roomen, C., Mirzaian, M., Wijburg, FA, Linthorst, GE, Vedder, AC, Rombach, SM, Cox-Brinkman, J., Somerharju, P., Bota, RG, Hollak, CE, Brady, RO, Poorthuis, BJ globotriaosylsphingosine elevada é uma característica da doença de Fabry. Proc. Nat. Acad. Sci. 105:. 2812-2817, 2008 [PubMed: 18287059 , citações relacionadas] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

2.Anderson, W. Um caso de "angeio queratoma '. Brit. J. Derm. 10: 113-117, 1898.

3.Asano, N., Ishii, S., Kizu, H., Ikeda, K., Yasuda, K., Kato, A., Martin, OR, Fan, J.-Q. inibição in vitro e melhoria intracelular de alfa lisossomal -galactosidase actividade A em linfoblastos Fabry por 1-desoxigalactonojirimicina e seus derivados. Europ. J. Biochem. 267: 4179-4186, 2000. [PubMed: 10866822citações relacionadas ] [Texto Completo: Blackwell Publishing , Pubget ]

4.Auray-Blais, C., Cyr, D., Ntwari, A., Oeste, ML, Cox-Brinkman, J., Bichet, DG, Germain, DP, Laframboise, R., Melancon, SB, Stockley, T., Clarke, JTR, Drouin, R. excreção urinária globotriaosilceramida correlaciona-se com o genótipo em crianças e adultos com doença de Fabry. Moles. Genet. Metab. 93:. 331-340, 2008 [PubMed: 18023222 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

5.Bach, G., Rosenmann, E., Karni, A., Cohen, T. Pseudodeficiency de alfa-galactosidase A. Clin. Genet. 21:. 59-64, 1982 [PubMed: 6279339 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

6.Bannwart, F. Morbus Fabry:. Licht-und Elektronenmikroskopischer Herzbefund 12 Jahre nach Nierentransplantation erfolgreicher Schweiz. Med. Wschr. 112: 1742-1747, 1982. [PubMed: 6294821 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

7.Beaudet, AL, Caskey, CT Detecção de heterozigotos de Fabry doença por análise de raiz do cabelo.Clin. Genet. 13: 251-258, 1978. [PubMed: 205381 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

8.Bernstein, HS, Bispo, DF, Astrin, KH, Kornreich, R., Eng, CM, Sakuraba, H., Desnick, RJ doença de Fabry:. seis rearranjos gênicos e uma mutação de ponto no gene exônico alfa-galactosidase J. Clin. Invest. 83:. 1390-1399, 1989 [PubMed: 2539398 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Journal of Clinical InvestigationPubget ]

9.Bird, TD, Lagunoff, D. As manifestações neurológicas da doença de Fabry em mulheres portadoras.Ann. Neurol. 4: 537-540, 1978. [PubMed: 217299 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

10.Blanch, LC, Meaney, C., Morris, CP A estratégia de rastreio sensível mutação para doença de Fabry: detecção de nove mutações no alfa-galactosidase A gene. Hum. Mutat. 8:. 38-43, 1996 [PubMed:8807334 , citações relacionadas ] [Texto Completo: John Wiley & Sons, Inc. , Pubget ]

11.Blom, D., Speijer, D., Linthorst, GE, Donker-Koopman, WG, Strijland, A., Aerts, JMFG recombinante terapia enzimática para a doença de Fabry:. ausência de edição de humano alfa-galactosidase A mRNA Am. Hum J.. Genet. 72:. 23-31, 2003 [PubMed: 12471562 , citações relacionadas ] [Texto Completo:Elsevier Science , Pubget ]

12.Brady, RO, Gal, AE, Bradley, RM, Martensson, E., Warshaw, AL, Laster, L. defeito enzimático na doença de Fabry: deficiência ceramidetrihexosidase. New Eng. J. Med. Chem. 276:. 1163-1167, 1967 [PubMed:6023233 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Atypon , Pubget ]

13.Brady, RO, Schiffmann, R. . As características clínicas da e avanços recentes na terapia para a doença de Fabry JAMA 284: 2771-2775, 2000. [PubMed: 11105184 , citações relacionadas ] [Texto Completo:HighWire Press , Pubget ]

14.Branton, MH, Schiffmann, R., Sabnis, SG, Murray, GJ, Quirk, JM, Altarescu, G., Goldfarb, L., Brady, RO, Balow, JE, Austin, HA, III, Kopp, JB História Natural de doença renal Fabry: influência da alfa-galactosidase A atividade e mutações genéticas na evolução clínica. Medicina 81:. 122-138, 2002[PubMed: 11889412 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Lippincott Williams & Wilkins , Pubget ]

15.Broadbent, JC, Edwards, WD, Gordon, H., Hartzler, GO, Krawisz, JE cardiomiopatia Fabry no feminino confirmado por biópsia endomiocárdica. Mayo Clin. Proc. 56:. 623-628, 1981 [PubMed: 6268901 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

16.Brown, LK, Miller, A., Bhuptani, A., Sloane, MF, Zimmerman, MI, Schilero, G., Eng, CM, Desnick, RJenvolvimento pulmonar na doença de Fabry. Am. J. Resp. Crit. Care Med. 155: 1004-1010, 1997.[PubMed: 9116979 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

17.Cable, WJL, Dvorak, AM, Osage, JE, Kolodny, EH A doença de Fabry:. importância da localização ultraestrutural de inclusões lipídicas nos nervos dérmicos Neurology 32: 347-353, 1982. [PubMed:6278363 , citações relacionadas ] [texto completo: Pubget ]

18.Cable, WJL, Kolodny, EH, Adams, RD doença de Fabry: função autonômica prejudicada. Neurology 32:. 498-502, 1982 [PubMed: 6803189 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

19.Cable, WJL, McCluer, RH, Kolodny, EH, Ullman, MD Doença de Fabry:. detecção de heterozigotos por exame de glicolipídios no sedimento urinário Neurology 32: 1139-1145, 1982. [PubMed: 6289188 ,citações relacionadas ] [texto completo: Pubget ]

20.Clarke, JT, Knaack, J., Crawhall, JC, Wolfe, LS trihexosidosis Ceramide (doença de Fabry), sem lesões cutâneas. New Eng. J. Med. Chem. 284:. 233-235, 1971 [PubMed: 5539345 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Atypon , Pubget ]

21.Clarke, JTR Revisão narrativa: a doença de Fabry. Ann. Intern. Med. 146:. 425-433, 2007 [PubMed:17371887 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

22.Clement, M., McGonigle, RJS, Monkhouse, PM, Keogh, AM, Marten, RH, Bewick, M., Parsons, V. A doença renal no transplante de Anderson-Fabry. J. Roy. Soe. Med. 75:. 557-560, 1982 [PubMed: 6283080 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

23.Colucci, WS, LORELL, BH, Schoen, FJ, Warhol, MJ, Grossman, W. cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva devido a doença de Fabry. New Eng. J. Med. Chem. 307:. 926-931, 1982 [PubMed: 6810178 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Atypon , Pubget ]

24.Crosbie, TW, Packman, W., Packman, S. Aspectos psicológicos de pacientes com doença de Fabry. J.Herdar. Metab. Dis. 32:. 745-753, 2009 [PubMed: 19924564 , citações relacionadas ] [Texto Completo:Springer , Pubget ]

25.Davies, JP, Winchester, BG, Malcolm, S. A análise da mutação em pacientes com a forma típica de Anderson-Fabry doença. Hum. Moles. Genet. 2:. 1051-1053, 1993 [PubMed: 8395937 , citações relacionadas] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

26.Efthimiou, J., McLelland, J., Betteridge, DJ curtos intervalos PR e taquiarritmias na doença de Fabry.Pós. Med. J. 62:. 285-287, 1986 [PubMed: 3086855 e citações relacionados ] [Texto Completo: HighWire PressPubget ]

27.Elleder, M., Bradova, V., Smid, F., Budesinsky, M., Harzer, K., Kustermann-Kuhn, B., Ledvinova, J., Belohlavek, (NI), Kral, V., Dorazilova, V. armazenamento Cardiocyte e hipertrofia como uma única manifestação da doença de Fabry: relato de um caso simulando cardiomiopatia hipertrófica não-obstrutiva Virchows Arch. Um Pathol. Anat. Histopathol. 417:. 449-455, 1990 [PubMed: 2173254 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

28.Elleder, M., Christomanou, H., Kustermann-Kuhn, B., Harzer, K. padrões lipídicos leptomeninges armazenamento na doença de Fabry. Acta neuropata. 88:. 579-582, 1994 [PubMed: 7879606 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

29.Eng, CM, Banikazemi, M., Gordon, RE, Goldman, M., Phelps, R., Kim, L., Gass, A., Winston, J., Dikman, S., Fallon, JT, Brodie, S ., Stacy, CB, Mehta, D., Parsons, R., Norton, K., O'Callaghan, M., Desnick, RJ A fase 1/2 ensaio clínico de reposição enzimática na doença de Fabry: clearance substrato farmacocinética, e estudos de segurança. Am. Hum J.. Genet. 68:. 711-722, 2001 [PubMed: 11179018 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

30.Eng, CM, Desnick, RJ base molecular da doença de Fabry: mutações e polimorfismos no humano alfa-galactosidase A gene. Hum. Mutat. 3: 103-111, 1994. [PubMed: 7911050 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

31.Eng, CM, Germain, DP, Banikazemi, M., Warnock, DG, Wanner, C., Hopkin, RJ, Bultas, J., Lee, P., The Sims, K., Brodie, SE, Pastores, GM, Strotmann , JM, Wilcox, WR doença de Fabry:. orientações para a avaliação e gestão do comprometimento do sistema multi-órgão Genet. Med. 8:. 539-548, 2006[PubMed: 16980809 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Lippincott Williams & Wilkins , Pubget ]

32.Eng, CM, Resnick-Silverman, LA, Niehaus, DJ, Astrin, KH, Desnick, RJ Natureza e frequência de mutações na alfa-galactosidase A gene que causam a doença de Fabry. Am. Hum J.. Genet. 53:. 1186-1197, 1993 [PubMed: 7504405 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

33.Fabry, J. Ein Beitrag Zur Kenntnis der Púrpura hemorrágica nodular (Púrpura papulosa hemorrhagica Hebrae). Arch. Derm. Syph. 43: 187-200, 1898.

34.Faggiano, A., Pisani, A., Milone, F., Gaccione, M., Filippella, M., Santoro, A., Vallone, G., Tortora, F., Sabbatini, M., Spinelli, L., Lombardi, G., Cianciaruso, B., Colao, A. disfunção endócrina em pacientes com doença de Fabry. J. Clin. Endocr. Metab. 91:. 4319-4325, 2006 [PubMed: 16926253 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

35.Fan, J.-Q., Ishii, S., Asano, N., Suzuki, Y. Acelerado transporte e amadurecimento de lisossomal alfa-galactosidase A em linfoblastos Fabry por um inibidor da enzima. Med Nature. 5: 112-115, 1999.[PubMed: 9883849 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Grupo Nature Publishing , Pubget ]

36.Faraggiana, T., Churg, J., Grishman, E., Strauss, L., Prado, A., Bispo, DF, Schuchman, E., Desnick, RJ luz e elétron-microscópio histoquímica da doença de Fabry. Am. J. Path. 103:. 247-262, 1981 [PubMed:6786101 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

37.Fellgiebel, A., Keller, I., Marin, D., Muller, MJ, Schermuly, I., Yakushev, I., Albrecht, J., Bellhauser, H., Kinateder, M., Beck, M., Stoeter , P. utilitário de diagnóstico da ressonância magnética diferente e angio-RM mede na doença de Fabry. Neurology 72:. 63-68, 2009 [PubMed: 19122032 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

38.Flynn, DM, Lago, BD, Boothby, CB, Young, PE lesões intestino na doença de Fabry, sem uma erupção cutânea. Arch. Dis. Criança. 47: 26-33, 1972. [PubMed: 5018655 , citações relacionadas ] [Texto Completo:Pubget ]

39.Franceschetti, AT, Philippart, M., Franceschetti, A. Um estudo da doença de Fabry. I. O exame clínico de uma família com verticillata córnea. dermatológica 138:. 209-221, 1969 [PubMed: 5771636 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

40.Friedlaender, MM, Kopolovic, J., Rubinger, D., Prata, J., Drukker, A., Ben-Gershon, Z., Durst, AL, Popovtzer, MM A biópsia renal na doença de Fabry oito anos após o transplante renal bem sucedido. Clin.Nephrol. 27: 206-211, 1987. [PubMed: 3107860 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

41.Friedman, LS, Kirkham, SE, Thistlethwaite, JR, Platika, D., Kolodny, EH, Schuffler, MD diverticulose jejunal com perfuração como uma complicação da doença de Fabry. Gastroenterologia 86:. 558-563, 1984 [PubMed: 6420224 , relacionado citações ] [Texto Completo: Pubget ]

42.Frost, P., Tanaka, Y., Spaeth, GL doença de Fabry - lipidoses glicolipídicos. Histoquímicos e da microscopia eletrônica de dois casos. Am. J. Med. Chem. 40:. 618-627, 1966 [PubMed: 5948850 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

43.Germain, D., Biasotto, M., Tosi, M., Meo, T., Kahn, A., Poenaru, L. análise incompatibilidade de fluorescência assistida (FAMA) para triagem exaustiva da alfa-galactosidase A gene e detecção de portadores de doença de Fabry. Hum. Genet. 98:. 719-726, 1996 [PubMed: 8931708 , citações relacionadas] [Texto Completo: Springer , Pubget ]

44.Germain, DP Co-ocorrência e contribuição de doença de Fabry e síndrome de Klippel-Trenaunay-Weber a um paciente com lesões cutâneas atípicas. Clin. Genet. 60:. 63-67, 2001 [PubMed: 11531972 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Blackwell Publishing , Pubget ]

45.Germain, DP, Avan, P., Chassaing, A., Bonfils, P. Os pacientes acometidos com a doença de Fabry têm uma maior incidência de perda auditiva progressiva e surdez súbita:. uma investigação de vinte e dois pacientes do sexo masculino hemizigotos BMC Med. Genet. 3: 10, 2002. Nota:. Electronic Article[PubMed: 12377100 , citações relacionadas ] [Texto Completo: BioMed Central , Pubget ]

46.Germain, DP, Benistan, K., Boutouyrie, P., Mutschler, C. Osteopenia e osteoporose: Manifestações previamente não reconhecido de doença de Fabry. (Carta) Clin. Genet. 68:. 93-95, 2005 [PubMed:15952993 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Blackwell Publishing , Pubget ]

47.Germain, DP, Poenaru, L. Doença de Fabry: identificação do romance de alfa-galactosidase A mutações ea detecção transportadora molecular pelo uso de clivagem química fluorescente de desencontros. Biochem. Biophys. Res. Commun. 257: 708-713, 1999. [PubMed: 10208848 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

48.Gruber, M. verticillata Córnea. II. . Mitteilung Ophthalmologica 112:. 88-91, 1946 [PubMed: 20275840 ecitações relacionados ] [Texto Completo: Pubget ]

49.Gruber, M. verticillata Córnea. . (Eine einfach-Dominante Variante der Hornhaut des menschlichen Auges) Ophthalmologica 111:. 120-129, 1946 [PubMed: 20275792 , citações relacionadas ] [Texto Completo:Pubget ]

50.Halsted, CH, Rowe, JW Ocorrência de doença celíaca em um paciente com doença de Fabry. Ann.Intern. Med. 83: 524-525, 1975. [PubMed: 810052 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

51.Hamburger, J., Dormont, J., De Montera, H., Hinglais, N. Sur une singuliere malformação familiale de l'epitélio renal. Schweiz. Med. Wschr. 94:. 871-876, 1964 [PubMed: 14238342 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

52.Hamers, MN, Wise, D., Ejiofor, A., Strijland, A., Rodrigues, D., Tager, JM Relação entre características bioquímicas e clínicas em uma família de Anderson-Fabry Inglês. Acta Med. Scand. 206:. 5-10, 1979[PubMed: 225929 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

53.Hasholt, L., Sorensen, SA Lysosomal alfa-galactosidase em culturas de células endoteliais estabelecidas a partir de um Fabry veias umbilicais hemizigóticos e normal. Hum. Genet. 72:. 72-76, 1986 [PubMed: 3002954 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

54.Hasholt, L., Sorensen, SA, Wandall, A., Andersen, EB, Arlien-Soborg, P. heterozigoto A doença de Fabry com uma nova mutação:. investigações bioquímicas, ultra-estrutural, e clínica J. Med. Genet. 27: 303-306, 1990. [PubMed: 2161929 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

55.Heltianu, C., Costache, G., Azibi, K., Poenaru, L., Simionescu, M. endoteliais de óxido nítrico sintase polimorfismos genéticos na doença de Fabry. Clin. Genet. 61:. 423-429, 2002 [PubMed: 12121349 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Blackwell Publishing , Pubget ]

56.Hillsley, RE, Hernandez, E., Steenbergen, C., Bashore, TM, Harrison, JK Herdado cardiomiopatia restritiva em uma mulher de 74 anos de idade: um caso de doença de Fabry. Am. Coração J. 129:. 199-202, 1995 [PubMed: 7817917 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

57.Ioannou, YA, Zeidner, KM, Gordon, RE, Desnick, RJ doença de Fabry: estudos pré-clínicos demonstram a eficácia de alfa-galactosidase A substituição na enzima deficientes em ratinhos. Am. Hum J.. Genet.68:. 14-25, 2001 [PubMed: 11115376 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

58.Ishii, S., Kase, R., Okumiya, T., Sakuraba, H., Suzuki, Y. Agregação da forma inactiva de humano alfa-galactosidase no retículo endoplasmático. Biochem. Biophys. Res. Commun. 220:. 812-815, 1996[PubMed: 8607847 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

59.Johnston, AW doença de Fabry, sem lesões cutâneas. (Letter) Lancet 289: 1277, apenas 1967. Nota: Originalmente Volume 1.

60.Johnston, AW, Frost, P., Spaeth, GL, Renwick, JH relações de ligação do angioqueratoma locus (Fabry).Ann. Hum. Genet. 32:. 369-374, 1969 [PubMed: 5307232 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

61.Johnston, AW, Sanger, R. relação Linkage dos locos de Anderson-Fabry doença e os grupos sangüíneos Xg. Ann. Hum. Genet. 45:. 155-157, 1981 [PubMed: 6274251 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

62.Jung, S.-C., Han, IP, Limaye, A., Xu, R., Gelderman, MP, Zerfas, P., Tirumalai, K., Murray, GJ, Durante, MJ, Brady, RO, Qasba, P. adeno-associado vector virais mediadas por resultados de transferência de genes em longo prazo correção enzimática e funcional em diversos órgãos de ratos de Fabry. Proc.Nat. Acad. Sci. 98:. 2676-2681, 2001 [PubMed: 11226298 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

63.Kaneski, CR, Moore, DF, Ries, M., Zirzow, GC, Schiffmann, R. mieloperoxidase prediz o risco de eventos vasculopathic em homens hemizigotos com doença de Fabry. Neurology 67: 2045-2047, 2006.[PubMed: 17159117 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

64.Kim, W., Pyeritz, RE, Bernhardt, BA, Casey, M., Litt, HI Manifestações pulmonares da doença de Fabry e resposta positiva à terapia de reposição enzimática. Am. J. Med. Chem. Genet. 143A:. 377-381, 2007[PubMed: 17256799 , citações relacionadas ] [Texto Completo: John Wiley & Sons, Inc. , Pubget ]

65.Kint, JA A doença de Fabry:. deficiência de alfa-galactosidase A ciência 167:. 1268-1269, 1970 [PubMed:5411915 e citações relacionados ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

66.Kirkilionis, AJ, Riddell, DC, Spence, MW, Fenwick, RG doença de Fabry em Nova Scotia grande família:. detecção de portadora utilizando a atividade de alfa-galactosidase de leucócitos e um polimorfismo NcoI detectada por um clone alfa-galactosidase cDNA J. Med. Genet. 28:. 232-240, 1991 [PubMed:1677424 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

67.Ko, Y.-H., Kim, H.-J., Roh, Y.-S., Parque, C.-K., Kwon, C.-K., Parque, M.-H. doença de Fabry atípica de : uma variante oligossintomática. Arch. Caminho. Lab. Med. 120:. 86-89, 1996 [PubMed: 8554452 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

68.Kornreich, R. Bispo, DF, Desnick, RJ alfa-galactosidase A rearranjos de genes que causam a doença de Fabry:. identificação de curtas repetições diretas em pontos de interrupção em um gene Alu-rico J.Biol. Chem. 265: 9319-9326, 1990. [PubMed: 2160973 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

69.Lemansky, P., Bishop, DF, Desnick, RJ, Hasilik, A., von Figura, K. Síntese e processamento de alfa-galactosidase A em fibroblastos humanos:. evidência para diferentes mutações na doença de Fabry J.Biol. Chem. 262:. 2062-2065, 1987 [PubMed: 3029062 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

70.Loonen, MCB, van de Lugt, L., Franke, CL Angioqueratoma corpóreo difuso e deficiência da enzima lisossomal. (Letter) Lancet 304: 785 apenas de 1974. Nota: Originalmente Volume 2. [PubMed: 4143049 ,citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

71.MacDermot, KD, Holmes, A., Mineiros, AH doença de Anderson-Fabry:. manifestações clínicas eo impacto da doença em uma coorte de 98 homens hemizigotos J. Med. Genet. 38:. 750-760, 2001[PubMed: 11694547 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

72.MacDermot, KD, Holmes, A., Mineiros, AH doença de Anderson-Fabry: manifestações clínicas e impacto da doença em uma coorte de 60 mulheres portadoras obrigatórios. (Carta) J. Med. Genet. 38:. 769-807, 2001 [PubMed: 11732485 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press , Pubget ]

73.MacDermot, KD, Morgan, SH, Cheshire, JK, Wilson, TM Anderson doença de Fabry, uma ligação estreita com marcadores de DNA altamente polimórficos DXS17 e DXS87 e DXS88. Hum. Genet. 77:. 263-266, 1987 [PubMed: 2890570 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Pubget ]

74.Maisey, DN, Cosh, JA aneurisma da artéria basilar e Anderson-Fabry doença. J. Neurol. Neurosurg.Psychiat. 43:. 85-87, 1980 [PubMed: 6766499 , citações relacionadas ] [Texto Completo: HighWire Press ,Pubget ]

75.Mapes, CA, Anderson, RL, Sweeley, CC, Desnick, RJ, Krivit, W. de reposição enzimática na doença de Fabry, um erro inato do metabolismo. Ciência 169:. 987-989, 1970 [PubMed: 4914726 e citações relacionados ] [ Texto completo: HighWire Press , Pubget ]

76.Mastropasqua, L., bela, M., Lanzini, M., Carpineto, P., Toto, L., Ciancaglini, M. manifestações da córnea e da conjuntiva em doença de Fabry:. estudo in vivo em microscopia confocal Am. J. Ophthal. 141: 709-718, 2006. [PubMed: 16564807 , citações relacionadas ] [Texto Completo: Elsevier Science , Pubget ]

77.Mehta, A., Clarke, JTR, Giugliani, R., Elliott, P., Linhart, A., Beck, M., Sunder-Plassmann, G. curso natural da doença de Fabry: mudança no perfil das causas de morte em FOS - Outcome Survey Fabry. J.Med. Genet. 46: 548-552. De 2009 [PubMed: 19473999 e citações relacionados] [Texto completo: HighWire PressPubget]

78.Moore, D. F., Kaneski, C. R., Askari, H., Schiffmann, R. The cerebral vasculopathy of Fabry disease. J. Neurol. Sci. 257: 258-263, 2007. [PubMed: 17362993related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

79.Moser, H. W. Personal Communication. Baltimore, Md. 12/14/1983.

80.Mutoh, T., Senda, Y., Sugimura, K., Koike, Y., Matsuoka, Y., Sobue, I., Takahashi, A., Naoi, M. Severe orthostatic hypotension in a female carrier of Fabry's disease. Arch. Neurol. 45: 468-472, 1988.[PubMed: 3128256related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

81.Nagao, Y., Nakashima, H., Fukuhara, Y., Shimmoto, M., Oshima, A., Ikari, Y., Mori, Y., Sakuraba, H., Suzuki, Y. Hypertrophic cardiomyopathy in late-onset variant of Fabry disease with high residual activity of alpha-galactosidase A. Clin. Genet. 39: 233-237, 1991. [PubMed: 1645238related citations] [Full Text: Pubget]

82.Nakao, S., Kodama, C., Takenaka, T., Tanaka, A., Yasumoto, Y., Yoshida, A., Kanzaki, T., Enriquez, A. L. D., Eng, C. M., Tanaka, H., Tei, C., Desnick, R. J. Fabry disease: detection of undiagnosed hemodialysis patients and identification of a 'renal variant' phenotype. Kidney Int. 64: 801-807, 2003. [PubMed:12911529related citations] [Full Text: Nature Publishing GroupPubget]

83.Nakao, S., Takenaka, T., Maeda, M., Kodama, C., Tanaka, A., Tahara, M., Yoshida, A., Kuriyama, M., Hayashibe, H., Sakuraba, H., Tanaka, H. An atypical variant of Fabry's disease in men with left ventricular hypertrophy. New Eng. J. Med. 333: 288-293, 1995. [PubMed: 7596372related citations] [Full Text: AtyponPubget]

84.Nance, C. S., Klein, C. J., Banikazemi, M., Dikman, S. H., Phelps, R. G., McArthur, J. C., Rodriguez, M., Desnick, R. J. Later-onset Fabry disease: an adult variant presenting with the cramp-fasciculation syndrome. Arch. Neurol. 63: 453-457, 2006. [PubMed: 16533976related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

85.Novo, F. J., Krusewski, A., MacDermot, K. D., Goldspink, G., Gorecki, D. C. Editing of human alpha-galactosidase RNA resulting in a pyrimidine to purine conversion. Nucleic Acids Res. 23: 2636-2640, 1995. [PubMed: 7503918related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

86.Ogawa, K., Sugamata, K., Funamoto, N., Abe, T., Sato, T., Nagashima, K., Ohkawa, S. Restricted accumulation of globotriaosylceramide in the hearts of atypical cases of Fabry's disease. Hum. Path. 21: 1067-1073, 1990. [PubMed: 2120125related citations] [Full Text: Pubget]

87.Ohshima, T., Murray, G. J., Swaim, W. D., Longenecker, G., Quirk, J. M., Cardarelli, C. O., Sugimoto, Y., Pastan, I., Gottesman, M. M., Brady, R. O., Kulkarni, A. B. Alpha-galactosidase A deficient mice: a model of Fabry disease. Proc. Nat. Acad. Sci. 94: 2540-2544, 1997. [PubMed: 9122231related citations] [Full Text:HighWire PressPubget]

88.Ohshima, T., Schiffmann, R., Murray, G. J., Kopp, J., Quirk, J. M., Stahl, S., Chan, C.-C., Zerfas, P., Tao-Cheng, J.-H., Ward, J. M., Brady, R. O., Kulkarni, A. B. Aging accentuates and bone marrow transplantation ameliorates metabolic defects in Fabry disease mice. Proc. Nat. Acad. Sci. 96: 6423-6427, 1999. [PubMed: 10339603related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

89.Opitz, J. M., Stiles, F. C., Wise, D., Race, R. R., Sanger, R., Von Gemmingen, G. R., Kierland, R. R., Cross, E. G., DeGroot, W. P. The genetics of angiokeratoma corporis diffusum (Fabry's disease) and its linkage relations with the Xg locus. Am. J. Hum. Genet. 17: 325-342, 1965. [PubMed: 17948499related citations] [Full Text: Pubget]

90.Pastores, G. M., Thadhani, R. Enzyme-replacement therapy for Anderson-Fabry disease. (Commentary) Lancet 358: 601-603, 2001. [PubMed: 11530143related citations] [Full Text: Elsevier Science,Pubget]

91.Patel, V., Watanabe, I., Zeman, W. Deficiency of alpha-L-fucosidase. Science 176: 426-428, 1972.[PubMed: 5026163related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

92.Peltier, A., Herebeuval, E., Baondeau, M. T., Belleville, F., Nabet, P. Pseudo-clinical Fabry's disease without alpha-galactosidase deficiency. Biomedicine 26: 194-201, 1977. [PubMed: 407951related citations] [Full Text: Pubget]

93.Philippart, M., Sarlieve, L., Manacorda, A. Urinary glycolipids in Fabry's disease. Their examination in the detection of atypical variants and the pre-symptomatic state. Pediatrics 43: 201-206, 1969.[PubMed: 5763858related citations] [Full Text: Pubget]

94.Pierides, A. M., Holti, G., Crombie, A. L., Roberts, D. F., Gardiner, S. E., Colling, A., Anderson, J. Study on a family with Anderson-Fabry's disease and associated familial spastic paraplegia. J. Med. Genet. 13: 455-461, 1976. [PubMed: 828204related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

95.Pisani, A. Personal Communication. Naples, Italy 4/19/2005.

96.Prigozy, T. I., Naidenko, O., Qasba, P., Elewaut, D., Brossay, L., Khurana, A., Natori, T., Koezuka, Y., Kulkarni, A., Kronenberg, M. Glycolipid antigen processing for presentation by CD1d molecules.Science 291: 664-667, 2001. [PubMed: 11158680related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

97.Pruss, H., Bohner, G., Zschenderlein, R. Paroxysmal vertigo as the presenting symptom of Fabry disease. Neurology 66: 249 only, 2006. [PubMed: 16434665related citations] [Full Text: HighWire Press,Pubget]

98.Pyeritz, R. E., Ullman, M. D., Moser, A. B., Braine, H. G., Moser, H. W. Plasma exchange removes glycosphingolipid in Fabry disease. Am. J. Med. Genet. 7: 301-308, 1980. [PubMed: 6781344related citations] [Full Text: Pubget]

99.Qin, G., Takenaka, T., Telsch, K., Kelley, L., Howard, T., Levade, T., Deans, R., Howard, B. H., Malech, H. L., Brady, R. O., Medin, J. A. Preselective gene therapy for Fabry disease. Proc. Nat. Acad. Sci. 98: 3428-3433, 2001. [PubMed: 11248095related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

100.Rahman, A. N., Simeone, F. A., Hackel, D. B., Hall, P. W., III, Hirsch, E. Z., Harris, J. W. Angiokeratoma corporis diffusum universale (hereditary dystopic lipidosis). Trans. Assoc. Am. Phys. 74: 366-377, 1961.[PubMed: 14489903related citations] [Full Text: Pubget]

101.Rodriguez, F. H., Jr., Hoffmann, E. O., Ordinario, A. T., Baliga, M. Fabry's disease in a heterozygous woman. Arch. Path. Lab. Med. 109: 89-91, 1985. [PubMed: 2982342related citations] [Full Text: Pubget]

102.Rolfs, A., Bottcher, T., Zschiesche, M., Morris, P., Winchester, B., Bauer, P., Walter, U., Mix, E., Lohr, M., Harzer, K., Strauss, U., Pahnke, J., Grossmann, A., Benecke, R. Prevalence of Fabry disease in patients with cryptogenic stroke: a prospective study. Lancet 366: 1794-1796, 2005. Note: Erratum: Lancet 368: 2210 only, 2006. [PubMed: 16298216related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

103.Romeo, G., Childs, B., Migeon, B. R. Genetic heterogeneity of alpha-galactosidase in Fabry's disease.FEBS Lett. 27: 161-166, 1972. [PubMed: 11946830related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

104.Romeo, G., Migeon, B. R. Genetic inactivation of the alpha-galactosidase locus in carriers of Fabry's disease. Science 170: 180-181, 1970. [PubMed: 5466114related citations] [Full Text: HighWire Press,Pubget]

105.Ropers, H.-H., Wienker, T., Grimm, T., Schroetter, K., Bender, K. Evidence for preferential X-chromosome inactivation in a family with Fabry's disease. Am. J. Hum. Genet. 29: 361-370, 1977.[PubMed: 406783related citations] [Full Text: Pubget]

106.Rosenberg, D. M., Ferrans, V. J., Fulmer, J. D., Line, B. R., Barranger, J. A., Brady, R. O., Crystal, R. G.Chronic airflow obstruction in Fabry's disease. Am. J. Med. 68: 898-905, 1980. [PubMed: 6247911,related citations] [Full Text: Pubget]

107.Roudebush, C. P., Foerster, J. M., Bing, O. H. L. The abbreviated PR interval of Fabry's disease. New Eng. J. Med. 289: 357-358, 1973. [PubMed: 4268777related citations] [Full Text: AtyponPubget]

108.Sakuraba, H., Yanagawa, Y., Igarashi, T., Suzuki, Y., Suzuki, T., Watanabe, K., Ieki, K., Shimoda, K., Yamanaka, T. Cardiovascular manifestations in Fabry's disease: a high incidence of mitral valve prolapse in hemizygotes and heterozygotes. Clin. Genet. 29: 276-283, 1986. [PubMed: 3087663related citations] [Full Text: Pubget]

109.Sawada, K., Mizoguchi, K., Hishida, A., Kaneko, E., Koide, Y., Nishimura, K., Kimura, M. Point mutation in the alpha-galactosidase A gene of atypical Fabry disease with only nephropathy. Clin. Nephrol. 45: 289-294, 1996. [PubMed: 8738659related citations] [Full Text: Pubget]

110.Schiffmann, R. Fabry disease. Pharm. Ther. 122: 65-77, 2009.

111.Schiffmann, R., Kopp, J. B., Austin, H. A., III, Sabnis, S., Moore, D. F., Weibel, T., Balow, J. E., Brady, R. O.Enzyme replacement therapy in Fabry disease: a randomized controlled trial. JAMA 285: 2743-2749, 2001. [PubMed: 11386930related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

112.Schiffmann, R., Murray, G. J., Treco, D., Daniel, P., Sellos-Moura, M., Myers, M., Quirk, J. M., Zirzow, G. C., Borowski, M., Loveday, K., Anderson, T., Gillespie, F., Oliver, K. L., Jeffries, N. O., Doo, E., Liang, T. J., Kreps, C., Gunter, K., Frei, K., Crutchfield, K., Selden, R. F., Brady, R. O. Infusion of alpha-galactosidase A reduces tissue globotriaosylceramide storage in patients with Fabry disease. Proc. Nat. Acad. Sci. 97: 365-370, 2000. [PubMed: 10618424related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

113.Senechal, M., Germain, D. P. Fabry disease: a functional and anatomical study of cardiac manifestations in 20 hemizygous male patients. Clin. Genet. 63: 46-52, 2003. [PubMed: 12519371related citations] [Full Text: Blackwell PublishingPubget]

114.Sheth, K. J., Good, T. A., Murphy, J. V. Heterozygote detection in Fabry disease utilizing multiple enzyme activities. Am. J. Med. Genet. 10: 141-146, 1981. [PubMed: 6274191related citations] [Full Text:Pubget]

115.Sorensen, S. A., Hasholt, L. Alpha-galactosidase isozymes in normal individuals, and in Fabry homozygotes and heterozygotes. Ann. Hum. Genet. 43: 313-321, 1980. [PubMed: 6772088related citations] [Full Text: Pubget]

116.Spada, M., Pagliardini, S. Screening for Fabry disease in end-stage nephropathies. (Abstract) J. Inherit. Metab. Dis. 25 (Suppl. 1): 113 only, 2002.

117.Spada, M., Pagliardini, S., Yasuda, M., Tukel, T., Thiagarajan, G., Sakuraba, H., Ponzone, A., Desnick, R. J.High incidence of later-onset Fabry disease revealed by newborn screening. Am. J. Hum. Genet. 79: 31-40, 2006. [PubMed: 16773563related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

118.Spence, M. W., Clarke, J. T. R., D'Entremont, D. M., Sapp, G. A., Smith, E. R., Goldbloom, A. L., Davar, G.Angiokeratoma corporis diffusum (Anderson-Fabry disease) in a single family in Nova Scotia. J. Med. Genet. 15: 428-434, 1978. [PubMed: 218016related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

119.Spence, M. W., MacKinnon, K. E., Burgess, J. K., d'Entremont, D. M., Belitsky, P., Lannon, S. G., MacDonald, A. S. Failure to correct the metabolic defect by renal allotransplantation in Fabry's disease. Ann. Intern. Med. 84: 13-16, 1976. [PubMed: 812404related citations] [Full Text: Pubget]

120.Spinelli, L., Pisani, A., Sabbatini, M., Petretta, M., Andreucci, M. V., Procaccini, D., Lo Surdo, N., Federico, S., Cianciaruso, B. Enzyme replacement therapy with agalsidase beta improves cardiac performance in Fabry's disease. Clin Genet. 66: 158-165, 2004. [PubMed: 15253767related citations] [Full Text: Blackwell PublishingPubget]

121.Stark, W. J. Personal Communication. Baltimore, Md. 11/16/1999.

122.Sweeley, C. C., Klionsky, B. Fabry's disease: classification as a sphingolipidosis and partial characterization of a novel glycolipid. J. Biol. Chem. 238: 3148-3150, 1963. [PubMed: 14081947related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

123.Tagliavini, F., Pietrini, V., Gemignani, F., Lechi, A., Pallini, R., Federico, A. Anderson-Fabry's disease: neuropathological and neurochemical investigation. Acta Neuropath. 56: 93-98, 1982. [PubMed:6278815related citations] [Full Text: Pubget]

124.Tajima, Y., Kawashima, I., Tsukimura, T., Sugawara, K., Kuroda, M., Suzuki, T., Togawa, T., Chiba, Y., Jigami, Y., Ohno, K., Fukushige, T., Kanekura, T., Itoh, K., Ohashi, T., Sakuraba, H. Use of a modified alpha-N-acetylgalactosaminidase in the development of enzyme replacement therapy for Fabry disease. Am. J. Hum. Genet. 85: 569-580, 2009. [PubMed: 19853240related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

125.Takahashi, H., Hirai, Y., Migita, M., Seino, Y., Fukuda, Y., Sakuraba, H., Kase, R., Kobayashi, T., Hashimoto, Y., Shimada, T. Long-term systemic therapy of Fabry disease in a knockout mouse by adeno-associated virus-mediated muscle-directed gene transfer. Proc. Nat. Acad. Sci. 99: 13777-13782, 2002. [PubMed: 12370426related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

126.Takenaka, T., Murray, G. J., Qin, G., Quirk, J. M., Ohshima, T., Qasba, P., Clark, K., Kulkarni, A. B., Brady, R. O., Medin, J. A. Long-term enzyme correction and lipid reduction in multiple organs of primary and secondary transplanted Fabry mice receiving transduced bone marrow cells. Proc. Nat. Acad. Sci. 97: 7515-7520, 2000. [PubMed: 10840053related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

127.Testai, F. D., Gorelick, P. B. Inherited metabolic disorders and stroke part 1: Fabry disease and mitochondrial myopathy, encephalopathy, lactic acidosis, and strokelike episodes. Arch. Neurol. 67: 19-24, 2010. [PubMed: 20065125related citations] [Full Text: HighWire PressPubget]

128.Verovnik, F., Benko, D., Vujkovac, B., Linthorst, G. E. Remarkable variability in renal disease in a large Slovenian family with Fabry disease. Europ. J. Hum. Genet. 12: 678-681, 2004. [PubMed: 15162124,related citations] [Full Text: Nature Publishing GroupPubget]

129.von Scheidt, W., Eng, C. M., Fitzmaurice, T. F., Erdmann, E., Hubner, G., Olsen, E. G. J., Christomanou, H., Kandolf, R., Bishop, D. F., Desnick, R. J. An atypical variant of Fabry's disease with manifestations confined to the myocardium. New Eng. J. Med. 324: 395-399, 1991. [PubMed: 1846223related citations] [Full Text: AtyponPubget]

130.Waldek, S. PR interval and the response to enzyme-replacement therapy for Fabry's disease. (Letter)New Eng. J. Med. 348: 1186-1187, 2003. [PubMed: 12646684related citations] [Full Text: AtyponPubget]

131.Waldek, S., Patel, M. R., Bankiazemi, M., Lemay, R., Lee, P. Life expectancy and cause of death in males and females with Fabry disease: findings from the Fabry Registry. Genet. Med. 11: 790-796, 2009.[PubMed: 19745746related citations] [Full Text: Lippincott Williams & WilkinsPubget]

132.Wang, R. Y., Lelis, A., Mirocha, J., Wilcox, W. R. Heterozygous Fabry women are not just carriers, but have a significant burden of disease and impaired quality of life. Genet. Med. 9: 34-45, 2007. [PubMed:17224688related citations] [Full Text: Lippincott Williams & WilkinsPubget]

133.Whybra, C., Kampmann, C., Willers, I., Davies, J., Winchester, B., Kriegsmann, J., Bruhl, K., Gal, A., Bunge, S., Beck, M. Anderson-Fabry disease: clinical manifestations of disease in female heterozygotes. J. Inherit. Metab. Dis. 24: 715-724, 2001. [PubMed: 11804208related citations] [Full Text: SpringerPubget]

134.Wilcox, W. R., Banikazemi, M., Guffon, N., Waldek, S., Lee, P., Linthorst, G. E., Desnick, R. J., Germain, D. P. Long-term safety and efficacy of enzyme replacement therapy for Fabry disease. Am. J. Hum. Genet. 75: 65-74, 2004. [PubMed: 15154115related citations] [Full Text: Elsevier SciencePubget]

135.Wise, D., Wallace, H. J., Jellinek, E. H. Angiokeratoma corporis diffusum: a clinical study of eight affected families. Quart. J. Med. 31: 177-206, 1962. [PubMed: 14007664related citations] [Full Text:HighWire PressPubget]

 Contributors:Cassandra L. Kniffin - updated : 8/20/2010
Creation Date:Victor A. McKusick : 6/4/1986
 Edit History:terry : 03/14/2011

Um comentário:

Mariana disse...

Quantas doenças raras que há no mundo da medicina!
O outro dia escutei que uma da minhas amigas tinha algo raro de gastroenterologia, mas não me lembro o nome da doença.